Share, , Google Plus, Pinterest,

Posted in:

Relacionamento interpessoal: pilares e impacto da tecnologia

Relacionamento interpessoal: pilares e impacto da tecnologia

O relacionamento interpessoal é um dos fatores que interferem no clima organizacional, andamento de projetos e resultados conquistados pelas empresas.

Afinal, as organizações são feitas de pessoas e, mais diretamente, daquilo que elas produzem em conjunto.

É algo que demonstra a importância das interações humanas para o sucesso – ou o fracasso – da companhia.

Para construir ambientes equilibrados, tanto os gestores quanto colaboradores, fornecedores e parceiros em geral devem conhecer e trabalhar em prol de objetivos em comum, tendo em mente que a vitória de uma equipe tem efeitos positivos para toda a empresa.

Dessa forma, será possível apoiar o desenvolvimento individual e coletivo, rompendo barreiras e forjando relações harmônicas, seja pessoalmente ou de forma remota – com parte do time em home office.

Se você quer aprimorar o que sabe sobre relacionamento interpessoal, suas bases, relevância e dicas, recomendamos a leitura deste artigo.

Veja os tópicos abordados a partir de agora:

  • O que é relacionamento interpessoal?
  • Qual é a importância de um bom relacionamento interpessoal?
  • Relação interpessoal e relação intrapessoal: qual a diferença?
  • Quais são os pilares do relacionamento interpessoal saudável?
  • Quais os tipos de relacionamento interpessoal?
  • Como a tecnologia interfere nas relações interpessoais?
  • Relacionamento interpessoal no trabalho
  • 7 dicas para melhorar o relacionamento interpessoal na empresa.

Se o assunto é do seu interesse, siga na leitura!

O que é relacionamento interpessoal?

Relacionamento interpessoal é o vínculo criado entre dois ou mais indivíduos, com base em suas interações e no contexto social em que atuam. Para que a relação comece, é necessário que essas pessoas tenham um primeiro contato, que pode acontecer de forma espontânea ou planejada, em um ambiente online ou offline.

As relações interpessoais envolvem três componentes básicos:

  • O eu: nossa essência, vontade que impulsiona o comportamento
  • O outro: pode ser um amigo, familiar, colega de trabalho, etc.
  • O ambiente: local que nos aproxima do outro, como a escola, o lar ou a empresa, em um sentido amplo.

O relacionamento interpessoal é um dos principais pilares para a construção de conexões, sejam elas superficiais ou profundas, formando amizades, relações amorosas, parcerias.

Como o ser humano é, inerentemente, um ser social, cada um nasce com a capacidade de interagir com quem estiver a sua volta, dando o primeiro passo para forjar relações.

No entanto, a qualidade e o fortalecimento desses vínculos exigem acompanhamento, dedicação, empatia e uma mistura equilibrada entre razão e emoção.

Sem um esforço conjunto para manter ligações saudáveis, a tendência é que os conflitos, divergências e situações da rotina desgastem os relacionamentos, afetando a qualidade de vida dos envolvidos.

Por isso, a área vem ganhando atenção e sendo estudada sob diferentes perspectivas, considerando sua contribuição para o bem-estar emocional e psíquico, sensação de pertencimento a um grupo, produtividade e colaboração nas empresas.

Todos esses aspectos são relevantes e, por vezes, decisivos para o sucesso na vida profissional e pessoal.

Qual é a importância de um bom relacionamento interpessoal?

Relacionamento interpessoal: pilares e impacto da tecnologia
Qual é a importância de um bom relacionamento interpessoal?

Manter boas relações com quem nos cerca é vital para satisfazer necessidades comuns à espécie humana, como viver em sociedade e construir conexões significativas.

Mesmo que alguém prefira, por exemplo, morar sozinho, vai depender de uma série de serviços para levar a vida com conforto, além do contato com familiares e amigos para manter a saúde emocional em dia.

Toda essa dinâmica requer interações com outras pessoas.

E a qualidade dos relacionamentos acaba interferindo em nossa qualidade de vida, pois precisamos ter com quem contar ao longo da nossa existência.

Se cultivamos interações pautadas pelo respeito, cooperação e empatia, a chance de termos um retorno positivo em qualquer esfera aumenta.

Podemos nos aproximar, conhecer os anseios das outras pessoas e moldar famílias, grupos de amigos e equipes corporativas mais estruturados, atingindo resultados promissores.

Isso porque o grupo se transforma em um time, fortalecido pelo cuidado e reconhecimento da contribuição de cada membro, conforme suas habilidades e experiências.

Vale, então, aquela máxima de que, sozinho, se vai rápido, mas acompanhado, se vai mais longe.

Quem possui boa desenvoltura nas interações também está mais bem preparado para gerir pessoas e equipes com sucesso.

Relação interpessoal e relação intrapessoal: qual a diferença?

Enquanto o relacionamento interpessoal se refere a como nos relacionamos com os demais indivíduos, a relação intrapessoal corresponde a como lidamos conosco.

Se observados de perto, somos seres bastante complexos, forjados por caráter, personalidade, cultura, experiências, interações e conhecimentos diferentes.

É a soma desses pontos que nos torna únicos, e muitos deles não pertencem ao espectro racional.

É por isso que uma mesma experiência é vivida de forma distinta por pessoas diferentes: suas bases e filtros são diversos.

Daí a necessidade de que cada um invista em autoconhecimento, desvendando gatilhos e outros mecanismos que afetam seu comportamento e adquirindo inteligência emocional.

Ao tomar ciência da dinâmica das emoções, temos a oportunidade de assumir o controle nesse campo e melhorar nosso relacionamento intrapessoal, com reflexos nas relações interpessoais.

Afinal, muitas das nossas reações são provocadas ou potencializadas por motivos internos, que podem ser reorganizados por meio de ferramentas de gestão da emoção, estímulos positivos e reflexões que alteram a lógica dos pensamentos destrutivos.

Desse modo, esclarecemos e resolvemos as demandas internas, adquirindo clareza e autoconfiança para lidar melhor com as relações externas.

Quais são os pilares do relacionamento interpessoal saudável?

Relacionamento interpessoal: pilares e impacto da tecnologia
Quais são os pilares do relacionamento interpessoal saudável?

Como explicamos no primeiro tópico deste artigo, o relacionamento interpessoal inclui o eu, o outro e o ambiente, dependendo de uma abordagem que integre esses três atores.

Considerando essas figuras, reunimos pilares básicos que sustentam relações de qualidade, nos mais diversos cenários.

Confira!

Autoconhecimento

Mais acima, explicamos a importância de conhecer a nós mesmos, nossas emoções e como isso se reflete em todos os relacionamentos.

Quem não se conhece, não sabe lidar consigo mesmo e acaba insatisfeito com sua postura, o que impacta o humor, visão de mundo e a forma como encara as situações no dia a dia.

A falta de autoconhecimento potencializa atitudes explosivas, equivocadas, agressivas e ofensivas para as pessoas que nos cercam, favorecendo críticas destrutivas e discussões.

Também embaça nossa autoimagem e reforça a tendência a tomarmos as reações do outro como algo pessoal, o que dificulta a resolução dos conflitos.

Adequação ao ambiente

Nem todo relacionamento interpessoal é profundo, pois existem diferentes níveis de proximidade e intimidade.

Muitas vezes, esses níveis são determinados pelo tipo de ambiente em que a relação se desenvolve, que pode ter regras específicas.

No ambiente de trabalho, por exemplo, predominam interações formais e naturalmente mais distantes, a fim de conferir clareza às negociações, tarefas e à rotina.

Não significa que toda empresa preze pelo formalismo na linguagem ou que alguns colegas não possam se tornar amigos.

Contudo, costumam existir limites claros para as relações, que devem ser respeitados durante a jornada de trabalho.

Já em uma festa ou evento social, a dinâmica muda, assim como em uma sala de aula.

Portanto, é útil pautar as interações de acordo com o ambiente.

Comunicação assertiva

Ser claro e direto é fundamental para manter relacionamentos interpessoais saudáveis, sem ruídos ou mal-entendidos a respeito do que desejamos expressar.

Foque sempre na simplicidade e abra espaço para que o outro tire dúvidas, dê e receba feedback.

Outra boa pedida é apostar na comunicação não violenta, que agrega leveza às conversas e afasta a possibilidade de interpretações equivocadas.

Empatia

Pode ser descrita como o ato de calçar os sapatos do outro, de enxergar através da visão de quem nos relacionamos para compreender suas motivações, desejos e necessidades.

Essa competência é bastante complexa, mas pode ser aprendida por quem desejar, começando pelo respeito e o entendimento de que o diferente enriquece a humanidade.

Quer um exemplo?

As evoluções na medicina mundial tiveram início na abordagem ocidental, reativa, que prioriza a identificação e o tratamento de doenças.

Com a globalização e o compartilhamento de informações nas últimas décadas, esses conhecimentos ganharam reforço através da abordagem preventiva, nascida em nações orientais, que priorizam a integralidade do indivíduo para que siga saudável.

Vieram daí práticas como a meditação, acupuntura e o uso de plantas para melhorar a resistência, promovendo o bem-estar para evitar doenças.

De modo semelhante, a empatia é capaz de acrescentar saberes e percepções, contribuindo para relações harmônicas.

Ética

Embora seja comumente relacionada ao trabalho, tratar os relacionamentos com ética beneficia a todos.

Quando bem direcionado, esse conjunto de princípios e valores morais permite a valorização de atributos importantes, como o respeito, a honestidade e a transparência, embasando a construção da confiança mútua.

Gentileza

Adotar uma postura gentil abre portas, tanto pessoal quanto profissionalmente.

Isso porque toda relação é alimentada por detalhes, e ser gentil é dar atenção a coisas que parecem pequenas, mas fazem a diferença no final do dia.

Já reparou no quanto o ambiente fica mais acolhedor quando todos se cumprimentam, são solícitos e ajudam o próximo?

O trabalho (seja na empresa ou fora dela) se torna leve e até divertido, pois os indivíduos se sentem importantes naquele local.

Quais os tipos de relacionamento interpessoal?

Relacionamento interpessoal: pilares e impacto da tecnologia
Quais os tipos de relacionamento interpessoal?

Cada relacionamento que estabelecemos com uma pessoa ou um grupo é único, tendo suas próprias particularidades.

Mas, em um contexto geral, podemos dividir as relações em três tipos. Confira:

Pessoal

Engloba todos os relacionamentos que estabelecemos através de laços sanguíneos (família), criação (família, amigos) ou interesses em comum (colegas de escola, faculdade, equipes, eventos sociais, parceiros amorosos).

Esse tipo de relacionamento está presente desde o nosso nascimento, portanto, tem grande influência sobre a formação da personalidade, visão de mundo, valores, rotina e até dos gostos pessoais.

Virtual

Criada a partir da popularização da internet, a relação interpessoal virtual costuma ser menos profunda e estar relacionada a momentos de lazer na frente de uma tela.

São aqueles amigos que conhecemos pelas redes sociais, que reencontramos por meio da web ou com quem nos distraímos jogando na mesma equipe em nossos games favoritos.

Apesar de a maioria das relações virtuais ser superficial, há quem estabeleça laços profissionais ou até amorosos nesse formato.

Profissional

Reúne o relacionamento interpessoal no campo corporativo, com pessoas que interagem para dar andamento a projetos e negócios.

Pode incluir um tom de formalidade, em especial quando os indivíduos não se conhecem bem, ou se dar de um jeito mais descontraído, dependendo da cultura empresarial.

Como a tecnologia interfere nas relações interpessoais?

Relacionamento interpessoal: pilares e impacto da tecnologia
Como a tecnologia interfere nas relações interpessoais?

A tecnologia alterou os relacionamentos interpessoais, rompendo a barreira geográfica para aproximar pessoas em diferentes localidades.

Foi ela a responsável pelo crescimento dos relacionamentos virtuais, cultivados através de mensagens instantâneas, posts em redes sociais, ligações por voz e por vídeo.

Graças a essas ferramentas, é possível formar amizades com quem mora em cantos remotos do Brasil e do mundo, com acesso a culturas diferentes a partir de alguns cliques.

Há, ainda, a oportunidade de participar de reuniões e cursos a distância e fechar negócios sem precisar se deslocar até outras nações ou continentes.

Esses mecanismos foram fundamentais para que as empresas continuassem funcionando durante a crise sanitária causada pelo coronavírus, que afetou toda a humanidade em 2020.

Obrigadas a fechar as portas, as companhias recorreram ao home office para seguir trabalhando e, ao mesmo tempo, preservar a saúde dos funcionários.

Além dos pontos positivos, o fenômeno evidenciou os problemas de manter as relações interpessoais só no ambiente digital, como a falta de calor humano e maior facilidade para dispersões durante os encontros online.

Pode-se constatar, então, que as interações de trabalho viabilizadas pela tecnologia não substituem todos os elementos das interações feitas pessoalmente.

Relacionamento interpessoal no trabalho

“As pessoas não atuam isoladamente, mas por meio de interações com outras pessoas para poderem alcançar seus objetivos.”

A frase acima foi escrita pelo autor Idalberto Chiavenato, na obra “Iniciação à Teoria das organizações”, classificando o relacionamento interpessoal como variável do sistema de administração participativo.

Se organizações são formadas por indivíduos, é natural que seu comportamento e interações contribuam para o clima no ambiente de trabalho, a condução dos processos e a existência – ou não – de colaboração.

Isso porque o trabalho em equipe requer confiança e participação de todos os membros, o que só pode ser conquistado através de relações saudáveis e harmônicas.

Nesse contexto, vale lembrar que o progresso na carreira depende bons relacionamentos, pois, sem confiança, nenhum líder poderá indicar seu liderado para uma promoção, por exemplo.

E, por mais que tentemos usar nossa racionalidade no trabalho, as emoções sempre estarão presentes, o que exige autoconhecimento profundo para gerenciar os sentimentos de modo equilibrado.

Segundo explica o artigoRelacionamentos interpessoais e emoções nas organizações: uma visão biológica“, as atitudes humanas são movidas pelas emoções:

“A emoção penetra o ambiente organizacional associada à constituição das tarefas, preocupada, em última instância, com o desempenho lucrativo, seguindo a crença estabelecida pela força do racionalismo de que a ordem organizacional e a eficiência das relações entre gerentes e trabalhadores devem ser tratadas racionalmente.”

Os autores Sergio Proença Leitão, Graziela Fortunato e Angilberto Sabino de Freitas completam, afirmando que:

“Em suma, ‘boas’ organizações são as que têm emoções gerenciadas e a teoria organizacional deveria se preocupar mais com processos cognitivos e controle comportamental.”

Portanto, faz sentido investir não apenas em formação técnica (hard skills), mas também nas competências comportamentais ou soft skills, que fornecem recursos para que os colaboradores se relacionem com mais harmonia.

7 dicas para melhorar o relacionamento interpessoal na empresa

Relacionamento interpessoal: pilares e impacto da tecnologia
7 dicas para melhorar o relacionamento interpessoal na empresa

Agora que você já sabe a importância de construir pontes na vida profissional, selecionamos 7 dicas que vão te ajudar a formar relações interpessoais de qualidade, recomendadas pelo coach Pablo Aversa.

1. Coloque-se no lugar do outro

No trabalho, lidamos com diferentes perfis comportamentais.

Por isso, tudo se torna mais fácil quando focamos as interações no outro, nos abrindo para compreender seu ponto de vista.

2. Adapte sua abordagem

Prefira sempre a comunicação não violenta e tons mais brandos, mesmo que precise chamar a atenção para uma conduta inadequada.

3. Gerencie os primeiros três minutos

Comece escutando a outra pessoa, em vez de julgar ou tirar conclusões precipitadas.

Tenha em mente que ela teve algum motivo para te procurar ou agir de determinada maneira.

4. Ouça ativamente

A escuta ativa é uma arma poderosa para melhorar as relações em qualquer lugar, incluindo o ambiente de trabalho.

Por isso, dedique-se a ouvir e construir soluções em conjunto.

5. Fale mais de si mesmo

Às vezes, esquecemos de compartilhar nossos sucessos e fracassos com os colegas, principalmente se forem nossos liderados.

Porém, falar sobre episódios do passado e de como nos sentimos é um jeito inteligente de nos aproximar das outras pessoas.

Afinal, todos somos humanos, temos forças e fraquezas.

Lembre-se disso quando tiver receio de expor suas experiências.

6. Administre a linguagem não verbal

Nossa postura costuma dizer muito, até mais do que palavras.

A expressão facial, posição dos braços e para onde olhamos são exemplos de comunicação não verbal e transmitem mensagens às outras pessoas.

Portanto, fique atento, relaxado e mantenha o olho no olho para mostrar que é sincero durante uma conversa.

7. Abrace as diferenças

Atualmente, muitas organizações já perceberam o potencial da diversidade, que acrescenta criatividade aos times, partindo de pontos de vista distintos.

Essa dinâmica começa na aceitação das diferenças, que são partes inerentes a qualquer tipo de relação.

Faça um esforço para se aproximar de colegas com pensamento diferente, e logo vocês estarão aprendendo uns com os outros.

Conclusão

O relacionamento interpessoal está presente em várias esferas da vida humana, moldando e aperfeiçoando aqueles que se relacionam.

Por isso, é uma fonte importante de aprendizado, experiências e construção de saberes, que colabora para o crescimento profissional e pessoal.

Influencia, ainda, nos ambientes em que as interações ocorrem.

Gostou de aprofundar os conhecimentos sobre o assunto? Deixe um comentário e compartilhe este texto nas suas redes sociais.

Acesse o blog da FIA para ficar por dentro de outros temas de interesse no universo da gestão de pessoas, negócios, performance empresarial e empreendedorismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *