Share, , Google Plus, Pinterest,

Posted in:

Gamificação: o que é, vantagens e como implementar

Gamificação

Já reparou em como a gamificação está presente no seu dia a dia?

O conceito aparece no programa de pontos do seu cartão de crédito, nas atividades do curso de educação a distância (EaD) e nas recompensas por metas alcançadas pelo seu departamento.

Através de elementos como narrativa, desafios e prêmios, diferentes organizações aumentam o engajamento dos clientes internos e externos, elevando a fidelização – e os lucros.

Por isso, compreender o universo dos jogos e utilizar algumas de suas características no dia a dia pode ser um diferencial para gestores, empreendedores e lideranças que desejam se aproximar de seu time.

Também é uma ferramenta poderosa para potencializar o aprendizado, dentro e fora das instituições de ensino.

Neste artigo, vamos comentar a aplicação do gamification em empresas e escolas, mostrando exemplos e um passo a passo para te ajudar a implementar essa ideia na sua realidade.

Se o assunto interessa, é só seguir com a leitura ou escolher um dos tópicos abaixo.

  • O que é a gamificação e como ela funciona?
  • Os 28 elementos da gamificação
  • Como a gamificação é aplicada nas escolas?
    • Quais são os benefícios da gamificação para o aprendizado?
  • Gamificação corporativa: como a metodologia pode ser aplicada nas empresas
    • Como a gamificação é usada pelas empresas
    • Quais são os principais benefícios da gamificação para as empresas
  • 3 exemplos de sucesso do uso da gamificação pelas empresas
  • Como implementar gamificação na sua empresa [Passo a passo]

Acompanhe até o final e boa leitura!

O que é a gamificação e como ela funciona?

Gamificação
O que é a gamificação e como ela funciona?

Gamificação é um termo adaptado do inglês – gamification – que define o emprego de técnicas comuns aos games em situações de não jogo.

Ou seja, uma característica que, normalmente, aparece em jogos é adaptada para um contexto distinto, geralmente para motivar ou tornar uma tarefa mais prazerosa.

Para compreender como essa dinâmica funciona, imagine que uma equipe de assistentes esteja dando suporte para a digitalização dos documentos em uma empresa com vários anos de funcionamento.

Até o momento, décadas de pedidos, contratos e comprovantes estão guardados dentro de pastas de papelão, em grandes móveis de ferro, com aquelas gavetas imensas.

Chegando ao escritório, a equipe de assistentes é informada de que terá um mês para digitalizar todos os papéis, mantendo uma versão completa e organizada em um sistema em nuvem (o espaço para armazenamento virtual na internet).

Nem precisamos dizer que a atividade não anima o time, certo?

Eles vão passar semanas realizando uma tarefa tediosa, por isso, seu gestor decide incentivar a colaboração por meio de elementos de games.

Ele estabelece fases que, quando encerradas, conferem premiações para todos.

No final, os funcionários mais dedicados vão receber uma gratificação em dinheiro, e o time vai ganhar um almoço em um restaurante fino para celebrar o empenho do grupo.

Os 28 elementos da gamificação

Gamificação
Os 28 elementos da gamificação

Inspirados nos jogos mais antigos e/ou recentes, os elementos da gamificação podem ser separados em três categorias principais: dinâmicas, mecânicas e componentes.

De acordo com estudos dos pesquisadores Werbach e Hunter, um ou mais componentes se ligam a uma mecânica, enquanto uma ou mais mecânicas estão relacionadas a uma dinâmica.

A seguir, conheça os elementos incluídos nessas categorias.

Dinâmicas

Reúnem os elementos mais básicos e estruturais dos games, caracterizando o sistema sob o qual funcionam.

Podem ser divididas em:

  1. Emoções: diversão e outros estados emocionais mantêm o interesse dos jogadores
  2. Narrativa: é a estrutura que dá coerência ao game, seja através de uma história ou uma trajetória de eventos
  3. Progressão: itens que mostram que o participante está avançando
  4. Relacionamentos: interações entre o jogador, seus companheiros e adversários
  5. Restrições: regras que impõem as limitações do universo do game.

Mecânicas

São fatores pensados a partir das regras do jogo, orientando as ações dos participantes para que eles avancem.

Dependendo do game, as seguintes mecânicas podem aparecer:

  1. Aquisição de recursos para ajudar na trajetória proposta
  2. Avaliação ou feedback: notifica sobre o desempenho do jogador
  3. Chance: resultados são revelados de forma aleatória, a fim de surpreender os participantes
  4. Cooperação e Competição: ao completar uma tarefa, o jogo mostra se houve desempenho satisfatório, ou não, em relação a outros competidores
  5. Desafios: atividades que devem ser realizadas pelo participante
  6. Recompensas: são como presentes recebidos após uma conquista
  7. Transações: quando há troca, compra ou venda de recursos entres os jogadores
  8. Turnos: períodos demarcados para que cada participante jogue
  9. Vitória: a finalização do jogo de modo satisfatório.

Componentes

Descrevem as aplicações mais específicas e concretas entre os elementos dos jogos.

Assim como as mecânicas, nem todas elas estão presentes em um game, pois dependem dos objetivos e dinâmicas estabelecidas.

Abaixo, veja uma lista com componentes comuns:

  1. Avatar: representação visual do jogador (pode ser um peão, boneco, etc.)
  2. Bens virtuais: itens que só existem dentro do jogo, podendo ser conquistados ou comprados
  3. Boss: grande desafio que marca o final de um ciclo ou etapa dentro do jogo
  4. Coleções: grupos de itens semelhantes coletados ao longo do game
  5. Conquistas: recompensas adquiridas mediante o sucesso em um conjunto de ações específicas
  6. Conteúdos desbloqueáveis: complementos que podem ser destravados através de alguma atividade ou pontuação
  7. Emblemas e medalhas: símbolos de conquistas dentro do jogo
  8. Gráfico social: representação visual da performance de outros jogadores
  9. Missão: descrição de tarefas que devem ser concluídas pelo participante ou equipe
  10. Níveis: números que revelam o quão evoluído e experiente é um jogador
  11. Pontos: produtos de ações dentro do game
  12. Presentes: itens ou moedas adicionais
  13. Ranking: lista com os participantes de melhor desempenho dentro do jogo
  14. Times: oportunidade de jogar ao lado de um ou mais companheiros para conquistar um mesmo objetivo.

Como a gamificação é aplicada nas escolas?

Gamificação
Como a gamificação é aplicada nas escolas?

A gamificação no ensino dá suporte para o rompimento com antigos padrões no processo de aprendizado, tornando as aulas e conteúdos mais atrativos.

Uma das principais vantagens é o fato de que o conceito pode ser aplicado para classes de todas as idades, desde a pré-escola até a educação continuada para adultos.

Entidades que incorporam a gamification em sua estratégia geral implementam um ou mais dos elementos citados acima em seu dia a dia, criando trilhas de aprendizagem baseadas neles.

Um dos formatos mais populares é a divisão das turmas em grupos, a fim de que possam competir com os colegas de maneira saudável.

Os times são orientados sobre seus objetivos do dia, da semana e do bimestre, por exemplo, que podem incluir tarefas para casa, participação durante as aulas, pesquisas, envolvimento em debates e outras atividades.

Quando concluem uma ação, os alunos recebem pontos, vidas, itens ou passam para a próxima etapa da competição.

Caso não finalizem as tarefas, têm parte da pontuação retirada ou não recebem a recompensa correspondente.

Há, ainda, instituições de ensino que empregam a gamificação como um auxílio para projetos pontuais, transformando, por exemplo, um conteúdo de História em uma narrativa que agregue engajamento.

Para tanto, o professor responsável desmembra os fatos, construindo uma narrativa da qual os estudantes possam participar e/ou descobrir curiosidades ao seguir pistas.

Outro ambiente em que a gamification tem feito a diferença é na educação a distância, que necessita de ferramentas digitais interativas para facilitar a aprendizagem.

Ao final de um capítulo ou etapa de estudo, por exemplo, há escolas que apresentam um grande desafio ao estudante, semelhante ao que acontece em jogos que possuem o componente Boss.

Derrotando o “chefe”, o aluno recebe crédito extra, pontos ou maior suporte no próximo capítulo.

Quais são os benefícios da gamificação para o aprendizado?

Dentre os principais benefícios, vale citar a proximidade com ambientes e características que fazem parte do universo do estudante.

Nos dias atuais, conquistar a atenção de crianças, adolescentes e até dos universitários está se tornando um desafio para os centros de ensino.

Educadores precisam competir com diversos pontos que distraem a concentração da classe, desde os próprios pensamentos dos alunos até seus smartphones, conversas e acontecimentos paralelos à aula.

A cultura do imediatismo e da velocidade vem se enraizando na sociedade, diminuindo o interesse por atividades estáticas, a exemplo da leitura.

O que dizer, então, da metodologia tradicional de ensino, pautada por encontros pouco estimulantes, monólogos e cópia de textos?

Mesmo quando há inserção de ferramentas diferentes, como filmes, os estudantes têm dificuldade para assimilar o aprendizado, pois quase não participam desse processo.

A gamificação, por outro lado, propõe a participação ativa de toda a classe, individualmente ou em grupo, partindo de uma atmosfera familiar – os jogos.

Desse modo, o processo de ensino se torna flexível e motivador, já que os estudantes recebem estímulos para completar suas tarefas, feedbacks rápidos e recompensas por sua dedicação.

Também aguçam seu espírito competitivo e a colaboração, que são dois atributos importantes nas próximas etapas de suas vidas, em especial quando disputarem vagas de trabalho.

Gamificação corporativa: como a metodologia pode ser aplicada nas empresas

Gamificação
Gamificação corporativa: como a metodologia pode ser aplicada nas empresas

Como falamos no início deste artigo, a gamificação pode ser aproveitada pelas empresas, a fim de gerar envolvimento junto aos clientes externos e internos (os funcionários).

Quanto aos clientes externos, um dos principais propósitos é estreitar as relações, levando a uma aproximação entre eles e uma marca, produto ou serviço.

A partir desse relacionamento, fica mais fácil ganhar a lealdade do consumidor.

E, em um mercado altamente competitivo e repleto de opções, essa fidelização vale ouro, pois diminui as chances de cancelamentos (churn) e preserva a carteira de clientes.

Assim, a companhia mantém sua saúde financeira e lucratividade.

Já junto aos colaboradores, o objetivo da gamification costuma ser fornecer motivação para que trabalhem mais felizes e produtivos.

Considerando que os recursos humanos são os mais relevantes dentro de qualquer empresa, conquistar a admiração e o empenho dos empregados é de extrema importância, uma vez que pode melhorar a performance geral da companhia.

Também costuma ser um dos quesitos essenciais na hora de atrair e ganhar a confiança de clientes em potencial, porque o time precisa estar satisfeito para tratar o consumidor bem.

Como a gamificação é usada pelas empresas

A gamificação nas empresas está presente, em grande parte, na área de treinamentos e desenvolvimento.

E isso não acontece à toa, já que a principal proposta desse conceito é facilitar o aprendizado.

Dessa forma, em vez de criar suas capacitações usando uma modelagem antiga, com aulas expositivas, apresentações em Power Point e uma prova final, as companhias apostam em formatos mais atraentes.

Tanto a gamificação quanto jogos em si (através do game based learning) servem para despertar a curiosidade e incentivar um comportamento proativo entre os alunos.

Os treinamentos são separados em fases repletas de tarefas, que rendem recompensas virtuais ou materiais à turma à medida em que são finalizadas.

Um exemplo utilizado para aumentar a empatia e o senso crítico é o julgamento, uma atividade em que os profissionais assumem o papel de juízes, advogados e promotores para compreender melhor as diferentes perspectivas a respeito de um fato.

Também precisam encontrar soluções e argumentos que sustentem a visão de seu personagem, permitindo que experimentem e cometam erros em um ambiente controlado, sem prejudicar a empresa.

Mesmo fora das capacitações, há corporações que empregam técnicas de gamification para atingir metas, formando rankings e conferindo premiações por resultado.

Outras forjam programas de fidelidade para estimular que os clientes externos comprem mais, oferecendo brindes e outras recompensas conforme a pontuação atingida.

É o caso de companhias aéreas, que conferem milhas e descontos como premiação para quem costuma viajar com frequência.

Quais são os principais benefícios da gamificação para as empresas?

Existem diversas vantagens para as empresas que adotam uma estratégia inovadora, incluindo características dos games em suas relações com funcionários e clientes.

Abaixo, listamos algumas delas.

  • Eleva o engajamento, que é o nível de envolvimento com a marca
  • Agrega um diferencial competitivo, dando destaque para a empresa frente à concorrência
  • Estabelece uma relação ganha-ganha com clientes e parceiros, a partir de prêmios como descontos
  • Reforça uma visão positiva sobre a companhia
  • Incentiva maior interação entre clientes e a empresa
  • Fortalece a competitividade e o espírito de equipe
  • Torna o ambiente de trabalho mais harmônico
  • Transforma atividades monótonas em tarefas interessantes e recompensadoras
  • Facilita a transmissão e assimilação de novos conhecimentos
  • Favorece a mudança de comportamento no ambiente de trabalho.

3 exemplos de sucesso do uso da gamificação pelas empresas

Gamificação
3 exemplos de sucesso do uso da gamificação pelas empresas

Agora que você já conhece os benefícios da gamificação, selecionamos cases de sucesso para inspirar.

Confira as ideias de algumas empresas para se aproximar de clientes, treinar funcionários e levar conscientização.

1. Programa de Fidelidade Starbucks

A marca está entre as mais amadas do planeta, e uma das razões que contribui para o sucesso é o My Starbucks Rewards™.

Esse programa de fidelidade é bastante simples, exigindo apenas que o cliente se cadastre e pague o que consumir com o cartão ou aplicativo Starbucks.

O participante pode alcançar três níveis diferentes, subindo cada vez que adquirir mais estrelas, consumindo mais produtos da cafeteria.

O Nível Boas-vindas dá direito a uma bebida grátis de aniversário.

Já o Nível Green acrescenta uma dose adicional de espresso na compra de cada bebida e um espresso grátis ao comprar um pacote de café.

E o Nível Gold adiciona uma bebida grátis a cada 12 estrelas acumuladas.

2. VR Vacina

Só de pensar em agulha, muitas crianças sentem medo e choram, dificultando a aplicação de vacinas fundamentais para sua imunização.

Pensando nisso, o laboratório Hermes Pardini elaborou uma experiência imersiva em que meninos e meninas interagem com um jogo enquanto recebem a vacina.

Por meio de óculos de Realidade Virtual (VR), eles compreendem a importância da vacinação e colaboram com o processo, além de não se assustarem.

Veja os detalhes neste vídeo.

3. Reforço no treinamento

Para atender melhor os clientes, é relevante que os atendentes conheçam bem o produto ou serviço, concorda?

Considerando essa informação, a agência Jokerman formulou uma plataforma com atividades divertidas para os profissionais do call center de uma programadora de TV, como relata esta matéria.

Nela, cada empregado poderia passar 10 minutos por dia assistindo a trailers, jogando pinball ou jogo da memória para testar conhecimentos a respeito da programação da empresa.

Aqueles que acumulassem mais pontos eram premiados no final de cada mês.

Como implementar gamificação na sua empresa [Passo a passo]

Gamificação
Como implementar gamificação na sua empresa [Passo a passo]

Ficou interessado em implementar a gamification, mas não sabe por onde começar?

Não se preocupe: apresentamos agora um roteiro com os primeiros passos a seguir.

1. Defina seu público-alvo

Você pretende aplicar a gamificação junto aos colaboradores ou aos clientes externos?

Para qual segmento deles essa estratégia será aplicada?

Essas são as primeiras questões a se responder.

2. Identifique a demanda ou problema

Nesta etapa, vale consultar o próprio público-alvo para conhecer suas necessidades e ideias.

3. Encontre uma solução

Pode ser bem simples, por exemplo: “elevar o faturamento mensal do departamento X”.

Ela servirá como objetivo para a sua estratégia.

4. Estabeleça metas

Metas serão os passos dados até chegar ao objetivo ou solução.

Elas vão mostrar as tarefas e comportamentos que devem ser recompensados para alcançar o propósito.

5. Teste componentes de games

Foque em motivar o público-alvo, testando elementos que elevem seu interesse (rankings, prêmios, fases, bônus, etc.).

Depois de algumas semanas ou meses, você terá uma versão aprimorada da sua estratégia de gamificação.

6. Monitore os resultados

Por fim, não deixe de definir métricas para acompanhar os resultados, verificando a eficiência da gamification na sua empresa.

Conclusão

Abordamos, neste texto, os benefícios e impactos da gamificação no ensino e dentro das organizações, com destaque para a simplificação do aprendizado.

Seguindo nossas dicas, você pode começar hoje mesmo a aproveitar essa ferramenta, aumentando o engajamento de funcionários e clientes.

Quer continuar aprendendo sobre performance empresarial? Então, acesse o blog da FIA. Se gostou deste artigo, compartilhe nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *