Share, , Google Plus, Pinterest,

Posted in:

Mercado de Trabalho: Tudo que você precisa saber (2019)

mercado de trabalho tudo que você precisa saber 2019
4.8 (96.06%) 325 votes

A expectativa é bastante positiva mercado de trabalho em 2019.

É dessa forma que podemos resumir a visão de especialistas ouvidos por diferentes veículos de imprensa ainda no final do ano passado.

Muitos avaliam que o mercado de trabalho no Brasil em 2018 foi de estagnação, mas que a esperança é de um 2019 bom para a economia de modo geral, o que sempre impacta na oferta de vagas.

Mas nem por isso dá para se jogar de cabeça na primeira oportunidade que surgir.

Como veremos ao longo deste artigo, seja para se recolocar no mercado, agarrar o primeiro emprego ou mudar de carreira, o sucesso depende de estabelecer uma estratégia.

Para isso, você está dando um passo inicial importante, que é a busca de informações que vão municiá-lo para uma tomada de decisão mais assertiva.

Neste artigo, vamos apresentar um guia completo sobre o assunto, explicando o que é mercado de trabalho e suas características, destacando as profissões em alta e como se preparar para elas.

Confira os tópicos que preparamos para a sua leitura:

  • O que é mercado de trabalho?
  • Quais as profissões em alta no mercado?
  • Quais as profissões mais valorizadas?
  • O que é o mercado de recursos humanos?
  • Como funciona a oferta no mercado de trabalho?
  • Mercado de trabalho no Brasil: um comparativo 2018 x 2019
  • Previsões para o futuro no mercado de trabalho
  • Mercado de trabalho em administração: tendências e previsões
  • Como se preparar para o mercado de trabalho das profissões do futuro?

Se eram essas as informações que procurava, continue lendo!

mercado de trabalho o que é
O mercado de trabalho deve ser mais ativo em 2019 do que foi em 2018

O que é mercado de trabalho?

Mercado de trabalho é um conceito que reúne aqueles que oferecem vagas de emprego e aqueles que buscam por tais oportunidades.

Isso inclui tanto postos abertos em empresas públicas quanto privadas, de todos os portes e segmentos de atuação.

Tal mercado, então, abrange a interação existente entre empregadores e mão de obra.

Fazem parte dele profissionais com as mais variadas formações e habilidades, em uma competição acirrada por vagas que atendam aos seus objetivos.

Uma particularidade que contribui para a maior competitividade está na maior qualificação da mão de obra disponível.

Embora só 15,3% dos brasileiros tenham ensino superior completo, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esse percentual era de 4,4% em 2000 e 7,9% em 2010.

Por outro lado, o aumento no número de candidatos habilitados não encontrou, nos últimos anos, uma oferta compatível com a demanda.

Ainda neste artigo, vamos avançar nessa análise e apresentar outras estatísticas, mas já é possível adiantar que o que contribui bastante para o desequilíbrio da balança é a taxa de desemprego, que atinge 11,6% da população.

Igualmente importante, está a relação entre o total de contratações e demissões, observada em dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

Quando os desligamentos são mais numerosos, significa que menos oportunidades existem no mercado de trabalho.

mercado de trabalho quais profissões alta
A área de tecnologia está em alta e isso irá continuar em 2019

Quais as profissões em alta no mercado?

Fazer previsões é sempre um risco, afinal, nunca se sabe como as expectativas vão se comportar na prática.

Mas no que diz respeito ao mercado de trabalho em 2019, é possível nos ampararmos em quem tem nessa análise uma rotina.

É o caso de consultorias e também de sites especializados ouvidos por diferentes portais.

Como exemplo, podemos citar o estudo Guia Salarial 2019, elaborado pela Robert Half, que menciona, entre outras carreiras, as seguintes profissões:

  • Engenheiro de vendas
  • Gerente jurídico
  • Analista ou gerente contábil/fiscal
  • Analista de compliance
  • Gerente de inovação digital
  • Analista ou gerente de crédito e risco
  • Gerente de RH
  • Especialista em business intelligence
  • Gerente de TI
  • Coordenador de marketing digital.

Para a InfoMoney, as consultorias de recrutamento Talenses e PageGroup também apontaram profissões que devem se destacar no mercado de trabalho em 2019.

Entre elas, estão:

  • Cientista de dados
  • Talent acquisition
  • Analista de User Experience (experiência do consumidor)
  • Gerente de qualidade
  • Gerente de marketing de performance
  • Advogado contencioso legal
  • Gerente de planejamento financeiro
  • Desenvolvedor back-end e mobile
  • Consultor de investimentos
  • Especialista tributário.

Por sua vez, Veja destacou as previsões da consultoria Randstad, que incluem grande interesse do mercado pelas carreiras na área de tecnologia, seguidas por business intelligence e marketing digital.

mercado de trabalho quais profissões mais valorizadas
Ter abertura de vagas não quer dizer que a profissão está valorizada

Quais as profissões mais valorizadas?

Quando analisamos as profissões em alta, no tópico anterior, falamos sobre ocupações que devem encontrar um bom espaço no mercado de trabalho em 2019. Ou seja, o interesse de empresas no preenchimento de tais vagas é visto como crescente.

Mas a oferta nem sempre combina com remunerações altas.

É diferente do que ocorre quando limitamos a análise às profissões mais valorizadas, que abrigam não apenas os maiores salários como também carreiras de grande interesse das organizações.

Esse é o caso, por exemplo, do cargo de Chief Data Officer (CDO), apontado por Talenses e PageGroup também como uma das profissões em alta.

O posto, que alcança salários de até R$ 45 mil, é de nível executivo e compreende atribuições que tem tudo a ver com a atual transformação digital pela qual passamos.

Um CDO reúne conhecimentos e habilidades e contribui para a tomada de decisão em tarefas e processos que envolvem big data, inteligência artificial, internet das coisas, design thinking e outros conceitos do universo digital.

Outra profissão caracterizada por tendência e valorização é a de advogado de compliance.

Sua atuação está diretamente relacionada às ações de governança corporativa e de transparência no ambiente e nos negócios da empresa.

É, portanto, uma função estratégica para garantir a rigidez que o mercado exige quanto ao posicionamento ético da organização, com salários que podem chegar a R$ 70 mil.

Não podemos deixar de citar também as profissões da área da saúde, como é o caso do médico e do gestor hospitalar, uma figura sempre valorizada por administrar recursos preciosos – e por vezes escassos.

Segundo a tradicional revista Forbes, nos Estados Unidos, o médico é a profissão mais bem paga por lá, com remuneração anual de quase 200 mil dólares – cerca de R$ 60 mil mensais.

A seguir, confira o que a consultoria Robert Half revela sobre alguns dos maiores rendimentos no país por área. As informações constam no Guia Salarial 2019:

Engenharia

Diretor de Supply Chain: até R$ 55 mil

Gerente de Compras: até R$ 33 mil

Gerente de Logística: até R$ 27 mil.

Finanças e Contabilidade

Diretor Financeiro: até R$ 80 mil

Gerente de Auditoria: até R$ 35 mil

Gerente de Finanças Corporativas: até R$ 30 mil.

Jurídico

Diretor Jurídico: até R$ 38 mil

Advogado Corporativo: até R$ 25 mil

Advogado Consultivo Tributário: até R$ 21 mil.

Mercado financeiro

Diretor de Finanças: até R$ 65 mil

Sales Trader (investimentos): até R$ 65 mil

Analista de Crédito e Risco: até R$ 60 mil.

Recursos Humanos

Diretor de RH: até R$ 55 mil

Business Partner (gestão de pessoas): até R$ 26,5 mil

Gerente de Treinamento, Desenvolvimento e Recrutamento: até R$ 23 mil.

Tecnologia

Diretor de TI: até R$ 40 mil

Diretor de Segurança: até R$ 35 mil

Gerente de Segurança da Informação: até R$ 25 mil.

Vendas e Marketing

Gerente Geral de Vendas: até R$ 105 mil

Diretor Comercial: até R$ 57 mil

Diretor de Marketing: até R$ 45,5 mil.

mercado de trabalho o que é recursos humanos
Mercado de recursos humanos e mercado de trabalho são duas coisas distintas

O que é o mercado de recursos humanos?

O mercado de recursos humanos, ou RH, está diretamente relacionado ao mercado de trabalho, embora não seja correto tratarmos como sinônimos.

Seu conceito agrega os processos necessários para atender às necessidades de oferta e procura. Ou seja, de preencher vagas abertas por empregadores com candidatos habilitados a elas.

Se você pensou em ações de recrutamento, seleção e treinamento, está no caminho certo.

Ocorre que esse mercado também vem sofrendo alterações a partir da já destacada transformação digital.

Na prática, muda a maneira como se conectam empresas a profissionais e também a forma como eles são escolhidos e contratados.

Como exemplo, podemos observar a crescente oferta de plataformas online indo muito além da ideia de divulgação de vagas.

Hoje, há ferramentas que automatizam boa parte das tarefas de recrutamento, tornando o processo mais simples, ágil e barato e facilitando também para candidatos, que podem se apresentar a partir de seus smartphones.

Elas se baseiam em algoritmos que conseguem restringir os resultados aos profissionais que se enquadram ao perfil procurado.

Se a ideia é reduzir o turnover (rotatividade), por exemplo, aqueles que pouco permanecem em seus empregos são facilmente identificados – e provavelmente descartados.

Ainda no meio digital, a análise do perfil também se vale de informações divulgadas pelos próprios postulantes em suas redes sociais.

Nesse ponto, os canais podem tanto ser aliados quanto inimigos do profissional para conquistar o emprego desejado.

O LinkedIn, por exemplo, tem até mesmo uma área específica para encontrar oportunidades, além de todas as possibilidades que oferece para fomentar o networking e construir uma sólida e positiva rede de contatos.

Mas o teor das publicações realizadas, compartilhadas e comentadas, por vezes, pode ser usado para desclassificar o candidato que não parece em sintonia com os objetivos e valores da empresa contratante.

mercado de trabalho como funciona oferta
A felicidade com seu trabalho atual impacta na oferta do mercado de trabalho

Como funciona a oferta no mercado de trabalho?

Como já vimos até aqui, o mercado de trabalho funciona com base na relação entre oferta e procura, um conceito criado originalmente por Adam Smith, pai da economia moderna.

Essa última compreende tanto aqueles que buscam uma primeira oportunidade quanto profissionais em fase de transição na carreira, desempregados, em busca de uma mudança ou de promoção para um cargo hierarquicamente superior.

Já a oferta tem características peculiares e sempre é menor que a procura – e é natural (e até saudável) que seja assim.

Se a oferta de vagas fosse ampla e irrestrita, provavelmente, a mão de obra seria menos especializada do que é, já que trabalhadores poderiam experimentar um novo emprego a cada semana, inclusive em áreas diferentes.

Como exemplo, pense em uma fábrica de pneus que precisa preencher 3 mil postos para abrir uma unidade em um município de 5 mil habitantes.

Nesse caso, a oferta seria maior que a procura, pois a cidade dificilmente teria profissionais aptos e disponíveis para atendê-la em quantidade.

Por outro lado, se a balança apresenta um desequilíbrio significativo, com procura elevada, significa que há muita gente ou sem emprego ou insatisfeita com a ocupação atual.

Reduzir a procura, portanto, significa ter mais trabalhadores plenamente satisfeitos com suas carreiras e os atuais cargos que ocupam.

Esse é um tema que volta e meia é abordado por consultorias e empresas de recursos humanos. Em 2013, por exemplo, duas pesquisas diferentes foram publicadas com resultados parecidos.

Estudo de Universia e Trabalhando.com verificou que o índice de satisfação com o atual emprego chega a 48%, enquanto a 4hunter Consultoria verificou que 55% se mostram descontentes.

Nos dois casos, portanto, mais da metade dos trabalhadores não está profissionalmente feliz e, dessa forma, abertos a uma mudança de emprego.

A eles se juntam na procura todos os candidatos hoje sem um vínculo de trabalho e que também buscam o seu lugar ao sol – os quais somam 12,2 milhões de pessoas, segundo o IBGE.

mercado de trabalho um comparativo 2018 2019
As mudanças na economia emprestam otimismo também ao mercado de trabalho

Mercado de trabalho no Brasil: um comparativo 2018 x 2019

Ao longo do artigo, apresentamos uma série de dados que nos permitem traçar uma análise de como o mercado de trabalho se comportou em 2018.

Mas para estabelecer um comparativo com o que vem por aí, é preciso nos aprofundarmos sobre os dados disponíveis e também sobre opiniões de especialistas no tema.

Um bom instrumento para iniciar essa análise está no Caged, especialmente no saldo registrado entre o número oficial de contratações e de demissões no país.

No mais recente balanço divulgado pelo órgão, referente a novembro de 2018, esse saldo foi positivo, totalizando 58.664 mais admissões do que desligamentos.

Para efeitos comparativos, um ano antes, em novembro de 2017, esse saldo era negativo, com 12.292 demissões a mais.

Embora não definitivo, temos aí um indicativo que ajuda a explicar o otimismo para o mercado de trabalho em 2019, o que aparece também entre as previsões de especialistas.

De concreto, há o início de um novo governo no Brasil e expectativas diversas em torno dele.

Com promessas de maiores esforços na transparência e combate à corrupção, privatizações de estatais e reformas importantes, como a da Previdência Social, muitas mudanças são esperadas não apenas para os próximos meses, mas também para os anos seguintes.

Se os impactos serão positivos ou não, só o tempo dirá.

Ao InfoMoney, o gerente sênior de Serviços Financeiros da Talenses, Gabriel Santos, disse que o ano deve ser bom para a economia, o que se reflete automaticamente no mercado de trabalho. Por isso, espera aumento nas contratações e maior número de posições ofertadas.

“Vai depender da agenda econômica, de reformas serem aprovadas ou não. A percepção vai melhorando ou piorando conforme o ano for passando”, declarou.

Já o Guia Salarial 2019 da Robert Half faz um alerta interessante aos recrutadores: “Com os sinais de retomada da economia, no curto prazo, os bons profissionais devem estar ainda menos disponíveis”, diz o relatório.

Menos otimista é a previsão do banco japonês MUFG, divulgada pela Folha de S. Paulo. A instituição financeira acredita que a taxa de desemprego no Brasil pode cair em 2019, mas não devemos esperar quedas acentuadas.

mercado de trabalho previsões para futuro
O avanço da tecnologia causa impacto no mercado de trabalho a cada ano que passa

Previsões para o futuro no mercado de trabalho

Quando olhamos para o futuro do mercado de trabalho e o avanço da tecnologia, é possível fazer previsões – sempre correndo o risco de elas não se confirmarem.

Reunimos nos tópicos abaixo o que deve vir por aí, na visão de consultorias e portais especializados em carreiras no Brasil e no mundo:

  • Era da automação: cerca de 50% das atividades de trabalho são tecnicamente automatizáveis, segundo relatório da McKinsey
  • Trabalho remoto: regulamentado na Reforma Trabalhista, o home-office deve crescer como alternativa para a contratação de profissionais
  • Multidisciplinaridade: quem possuir sólidas competências técnicas e comportamentais terá prioridade nas ofertas de emprego
  • Novas carreiras: mecânicos de veículos híbridos, técnico em impressão de alimentos, analista de internet das coisas e técnico em automação predial são profissões aguardadas na indústria 4.0, segundo estudo do Senai, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial.
mercado de trabalho administração tendências previsões
Manter-se atualizado e ser flexível é fundamental para ser valorizado no mercado de trabalho

Mercado de trabalho em administração: tendências e previsões

Embora seja o segundo curso com o maior número de alunos matriculados, de acordo com o Censo da Educação Superior 2016 do Ministério da Educação, a graduação em administração oferece ao formando uma relação equilibrada entre oferta e procura.

Isso se deve especialmente às muitas possibilidades de atuação.

Para avançar no assunto, recomendamos a leitura deste artigo sobre cursos de administração.

Mas, resumidamente, depois de concluir a sua formação, é possível buscar vagas em áreas diversas, como administração pública, agronegócio, comércio exterior, vendas, finanças, logística, marketing e recursos humanos, além de empreender por conta própria.

Como tendência futura, vale destacar que a carreira de administrador não é prejudicada pelo avanço tecnológico, muito pelo contrário.

A transformação digital pode até mesmo ampliar as oportunidades no mercado de trabalho em 2019 e nas próximas décadas.

Para agarrá-las, no entanto, o profissional tem o compromisso de se manter atualizado e investir no seu conhecimento e habilidades, o que nos leva ao próximo tópico.

mercado de trabalho como se preparar profissões futuro
É importante investir em educação e estar antenado nas últimas tecnologias

Como se preparar para o mercado de trabalho das profissões do futuro?

Não importa qual seja a sua área de atuação, a realidade é uma só: com cada vez mais soluções automatizadas e a população mundial crescendo em ritmo constante, a procura continuará superando a oferta no mercado de trabalho.

Por isso, não há como se manter competitivo e postular as melhores oportunidades para a carreira sem se preparar para isso.

Em vez de esperar encontrar a vaga dos seus sonhos, é preciso ser proativo e investir antes nas competências e habilidades necessárias para dar conta do recado.

Você viu ao longo deste artigo algumas tendências que o futuro reserva.

Estamos falando de big data, business intelligence, internet das coisas, inteligência artificial e outros conceitos que, aos poucos, já fazem parte do dia a dia das empresas. É uma verdadeira revolução que está em andamento.

E para fazer frente à ela, a dica final é que invista em você.

A graduação é um ponto de partida, mas que passa longe da linha de chegada.

Você deve procurar por cursos de extensão e opções de ensino a distância (EaD), mas também observar oportunidades de pós-graduação, como especialização, MBA e mestrado.

Para ser bem-sucedido profissionalmente, priorize cursos que permitam a aplicação prática no seu dia a dia.

A Fundação Instituto de Administração (FIA) possui inúmeras opções, as quais abrangem todas as áreas e tendências sobre as quais falamos ao longo do artigo.

Visite o site para saber mais e encontrar a sua próxima formação.

mercado de trabalho conclusão
O mercado de trabalho em 2019 pode reservar novidades para você. Fique aberto para novas oportunidades

Conclusão

Você conferiu neste artigo um guia sobre o mercado de trabalho em 2019, o que esperar para este novo ano, um comparativo com 2018 e uma abordagem sobre as profissões em alta.

Utilize essas informações para investir no planejamento da carreira e atingir seus objetivos.

Seja para quem está iniciando agora ou para quem deseja atingir o ponto mais alto da vida profissional, o conhecimento é a chave das realizações.

Nessa hora, você conta com a qualidade dos cursos oferecidos pela FIA.

Faça contato conosco para saber mais sobre as opções disponíveis.

Deixe seu comentário abaixo e, se o artigo ajudou, compartilhe em suas redes sociais.

One Comment

Leave a Reply
  1. Quais as universidades brasileiras que estão preparando adequadamente o aluno para o mercado de trabalho? Isto é muito importante porque alguns chegam da universidade e se deparam com algo para que nunca foram preparados, Existe um arcabouço de história da administração, por exemplo, que prepara o aluno para ser um bom historiador daquilo que aconteceu com Taylor e etc, mas hoje é hoje e está muito distante daquilo. Vocês Classificam e qualificam as Universidades para informar a quem ingressa AGORA? Isto é fundamental! Um outro detalhe entre Universidades e Mercado de trabalho. Por que no Brasil não há um elo mais bem aproximado? O que os meios produtivos necessitam para ir adiante nunca é aperfeiçoado por quem está estudando. Como se dá a questão das marcas e patentes no Brasil? Qual burocracia atrapalha novos inventos? Tudo isto pode contribuir para sermos atrasados no universo tecnológico e consequentemente intelectual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *