Share, , Google Plus, Pinterest,

Posted in:

Metas SMART: como usar para alcançar seus objetivos

Metas SMART

Seja para sua empresa, para a vida pessoal ou profissional, você pode ter nas metas SMART um ponto de partida para grandes realizações.

Fruto das iniciais de cinco palavras em inglês, o acrônimo pode ser traduzido como “inteligente” – o que faz todo o sentido.

Isso porque ele indica um sistema bastante simples e eficiente na hora de estabelecer suas metas, evitando que a falta de detalhes dificulte ou impossibilite que sejam alcançadas.

Conhecer e aplicar esse sistema é importante, pois é através de um conjunto de metas que chegamos até um objetivo, seja ele grande ou pequeno, em curto, médio ou longo prazo.

Vamos te ajudar nessa tarefa, destrinchando o significado e como definir cada etapa do processo.

Também trazemos exemplos para facilitar sua compreensão e apoiar os primeiros passos para tirar seus projetos da gaveta.

Interessado? Então, acompanhe o texto nos seguintes tópicos:

  • O que são as metas SMART?
  • Para que servem as metas SMART?
  • Como fazer o planejamento de metas SMART
    • S: Specific ou específica
    • M: Measurable ou mensurável
    • A: Attainable ou atingível
    • R: Relevant ou relevante
    • T: Time based ou temporal
  • Metas SMART: 2 exemplos práticos.

Boa leitura!

O que são as metas SMART?

Metas SMART são passos traçados por meio de um sistema que simplifica sua visualização e, por consequência, sua aplicação. São etapas objetivas e bem delineadas para atingir um objetivo determinado que podem, inclusive, ter o progresso mensurado, medido e acompanhado através de um ou mais indicadores.

O acrônimo SMART representa a união entre conceitos que possibilitam traçar metas de forma eficaz. Elas devem ser:

  • S: Specific ou específicas
  • M: Measurable ou mensuráveis
  • A: Attainable ou atingíveis
  • R: Relevant ou relevantes
  • T: Time based ou temporais.

A ideia foi difundida pela primeira vez em 1981, quando o executivo George Doran publicou o artigoThere’s a S.M.A.R.T. way to write management’s goals and objectives” (“Há uma forma inteligente de escrever metas e objetivos de gestão”, em tradução livre).

No texto, Doran reflete sobre as dificuldades de estabelecer metas assertivas a partir de muitas fontes de informação e propõe os cinco critérios descritos acima como alternativa para solucionar essa questão.

Para que servem as metas SMART?

Metas SMART servem para aproximar a concretização dos objetivos, uma vez que a falta de objetividade torna qualquer passo distante da realidade.

Lembrando que, sob o prisma do planejamento, sonhos, objetivos e metas são coisas diferentes.

Sonhos são desejos, ou seja, não precisam nem mesmo ser possíveis.

Podemos sonhar que estamos voando como pássaros, apesar de não termos asas e outros quesitos essenciais para tanto.

Ao transformar um sonho em algo realista, estamos projetando um objetivo.

Se o desejo é voar, podemos verificar uma maneira de fazer isso com ferramentas que existem, tornando o sonho uma possibilidade.

Observe que o objetivo é algo grande, que parte de um desejo ou necessidade e pode ser alcançado.

Por ser grandioso, ele costuma estar longe de nossas possibilidades do dia a dia, o que exige um esforço para que seja atingido.

Caso contrário, acabamos nos autossabotando, pois o cérebro vai considerar a possibilidade impossível se não a desmembrarmos.

É aí que entram as metas.

Elas são pequenas partes do objetivo.

São passos que, quando percorridos, são capazes de nos levar até aquela possibilidade.

Então, se o objetivo é voar, as metas podem incluir: pesquisar ferramentas disponíveis (asa delta, paraquedas, balão, etc.); consultar preços; juntar o dinheiro; realizar um ou mais treinamentos; agendar uma data e, por fim, realizar esse plano.

Porém, se não forem objetivas, as metas não passam a mensagem necessária para nos mobilizarmos.

Imagine, em nosso exemplo, que não definimos um tempo ou maneira para a etapa “juntar dinheiro”.

A tendência é que não priorizemos essa ação, impedindo-a de ser concluída rapidamente, o que vai nos desanimar.

É assim que, muitas vezes, procrastinamos e deixamos as conquistas de lado, simplesmente por não definir os limites para cada etapa (ou meta).

Como fazer o planejamento de metas SMART

Metas SMART
Como fazer o planejamento de metas SMART

Uma das vantagens de utilizar a metodologia SMART é a facilidade para entender e aplicar seus conceitos, pois as próprias palavras que nomeiam os cinco critérios dão pistas essenciais.

Além disso, incluir o sistema no seu planejamento não implica no uso de qualquer ferramenta tecnológica ou aplicativo.

Basta ter papel e caneta e uma folha em branco, anotar em um documento do Word ou mesmo no bloco de notas do seu smartphone.

O importante é que as metas estejam bem delimitadas e estejam em um local de fácil acesso e consulta, como sua mesa de trabalho, um mural na sua sala ou em uma agenda que você consulta todos os dias.

Afinal, quanto mais se lembrar delas, maiores as chances de trabalhar para que se tornem realidade.

Faça como no exemplo acima, sobre o sonho de voar, e converta seu desejo em objetivo para, em seguida, estabelecer qual o caminho que levará até ele.

Para não errar, o próprio objetivo pode seguir os princípios SMART.

Conforme você usar o método, vai entender cada vez melhor sua ideia, aprimorando sua definição de objetivos e metas.

Preparado para começar? Então, confira as dicas abaixo e mãos à obra!

S: Specific ou específica

Dizer que uma meta é específica implica em afirmar que é direta e objetiva.

Mas, ao contrário do que se pensa, ser objetivo não é, assim, tão fácil.

Essa tarefa pede dedicação e concentração, sem falar em uma análise para delinear os limites da meta ou objetivo.

Quer um exemplo?

Você, provavelmente, já caiu na armadilha das promessas de ano novo.

Não chamamos de armadilha por serem comuns ou feitas em um momento de festa e que exalta as mudanças, e, sim, porque dificilmente são cumpridas.

Existe uma série de razões para que não sejam realizadas, no entanto, vamos focar na sua falta de especificidade.

As festas de réveillon estão repletas de promessas vagas e termos difíceis de definir – e, portanto, difíceis de transformar em realidade.

“Ano que vem, vou aprender uma nova língua” ou “vou me divertir mais” são algumas das frases que surgem na mente das pessoas.

Porém, acaba o ano e elas não começaram um curso ou se empenharam no aprendizado de uma nova linguagem.

E podem ter trabalhado ainda mais que no ano anterior, deixando pouquíssimos momentos livres para a diversão.

Percebe a importância de traçar metas específicas?

Como definir uma meta específica

A receita é óbvia: adicione mais objetividade, clareza e seja direto.

O primeiro exemplo que demos acima – aprender uma nova língua – não é tão ruim.

Contudo, talvez o período de um ano seja muito longo para buscar essa realização. Então, seria mais prático quebrar o objetivo em metas menores.

Uma pergunta interessante para se fazer, nesse sentido, é: como vou chegar lá?

Será através de um curso, estudando sozinho, com a ajuda de um professor particular ou amigo?

Será por meio de um intercâmbio?

Para que a sentença ganhe objetividade, é fundamental adicionar os detalhes principais, por exemplo:

  • “Ano que vem, vou começar meu curso de inglês na escola X”.

A partir dessa premissa, você pode contatar a escola, verificar as opções e escolher o melhor negócio para dominar o inglês.

Ou seja, consegue estabelecer ações claras a partir da meta.

Já a segunda frase que citamos – “vou me divertir mais” – é bem mais vaga e precisa ser trocada por atividades que proporcionam diversão.

Você se diverte saindo para conversar com os amigos? Curtindo uma exposição ou cinema? Praticando esportes? Indo a shows?

Ou é alguém mais caseiro, que prefere assistir séries, jogos, escutar música ou ler no sofá?

Especificando as atividades que fornecem diversão, você pode chegar a uma meta mais específica, por exemplo:

  • “Ano que vem, vou ao festival de música Rock in Rio”.

Ou:

  • “Em janeiro, vou passar duas horas por dia assistindo minhas séries favoritas”.

M: Measurable ou mensurável

Mensurável é aquilo que pode ser medido e, consequentemente, avaliado.

Quando uma meta ou objetivo não é mensurável, fica complicado constatar os sucessos e os fracassos e saber se você está perto de alcançá-los.

Esse critério pode parecer complexo, contudo, fica simples compreendê-lo se pensarmos em indicadores.

Dentro de uma organização que se preocupe em realizar uma gestão eficiente de dados, chegando à governança ou controle das informações, existem os famosos KPI (Key Performance Indicators).

Eles são métricas especiais, que mostram a eficiência de diferentes estratégias de uma empresa, grupo ou pessoa.

No marketing digital, por exemplo, é possível eleger a taxa de conversão como um KPI.

Lembrando que conversão remete a uma ação estratégica tomada pelo público, como uma compra, contratação de serviço ou download de um e-book.

Uma meta mensurável é aquela que pode ser analisada a partir de métricas como os KPI, ou qualquer outro indicador que revele a performance e permita comparações para saber em que ponto do caminho se está.

Como definir uma meta mensurável

Construa sua meta com base em situações claras e passíveis de avaliação.

No caso do marketing digital, o objetivo pode ser aumentar as vendas a partir de visitantes do seu site ou blog, fazendo com que eles avancem no funil de vendas.

Dentro desse propósito, pense em uma ou mais atividades que possam ser mensuradas, por exemplo:

  • “Fechar três contratos no próximo mês, a partir dos visitantes do meu site”.

Nesse contexto, um indicador poderia ser a quantidade de contratos fechados nos últimos meses, o que vai permitir verificar se houve aumento nessa quantidade depois dos esforços de marketing digital.

A: Attainable ou atingível

Uma das lições compartilhadas pelo empreendedor Jorge Paulo Lemann, é que “sonhar grande e sonhar pequeno dá o mesmo trabalho”.

Mas essa premissa de conferir grandiosidade vale somente para os sonhos, uma vez que eles são primordiais para manter a motivação no dia a dia.

Agora, quando se trata de objetivos e metas, precisamos aproximar da realidade atual.

Por vezes, essa tarefa vai exigir que sejam redimensionados, diminuindo as expectativas para que se tornem plausíveis – ou atingíveis.

Caso contrário, a tendência é que fiquem somente no campo da imaginação.

Não que você precise abandonar seus sonhos, mas, sim, definir os objetivos e metas para que eles sejam alcançáveis.

E vamos explicar como fazer isso.

Como definir uma meta atingível

Sempre leve em consideração sua situação atual.

É ela que vai determinar quantos passos serão necessários para atingir um objetivo.

Pense, também, no papel que outras pessoas terão para chegar à meta, se elas estão de acordo e dispostas a fazer isso.

Esses quesitos darão os parâmetros para estabelecer metas atingíveis.

Vamos imaginar que um gestor de departamento precise aumentar a produtividade de sua equipe.

Em geral, ela consegue entregar 10 relatórios por dia, entretanto, há um cliente novo que deseja dobrar essa quantidade em um mês.

Será que essa meta é alcançável no tempo requerido, sem nenhum recurso adicional? Provavelmente, não.

Vai ser necessário contratar mais pessoas, premiar a entrega de mais relatórios, investir em ferramentas de automação de parte do processo ou tomar outras medidas.

No entanto, também é possível negociar um ajuste para não perder o cliente, nem a possibilidade de aumento nos ganhos da empresa.

Um adiantamento de valores poderia suprir os custos de contratação de mais trabalhadores, ou o tempo poderia ser adaptado à capacidade do time.

R: Relevant ou relevante

Uma meta é relevante quando desperta motivação para o indivíduo ou equipe responsável por trabalhar por ela.

Ou seja, quando atende a um ou mais interesses, agregando vantagens para todos os envolvidos.

Se o objetivo ou meta não forem relevantes o suficiente, acabam sendo deixados de lado, pois temas relevantes ou urgentes sempre tomarão seu lugar na escala de prioridades.

Como definir uma meta relevante

A forma mais simples de saber se algo tem relevância é perguntar a si mesmo ou ao seu time.

Caso não seja, é preciso atrelar essa conquista a um incentivo, por exemplo, uma comissão por vendas ou resultados.

Aliás, um erro cometido por muitos gestores é definir as metas sem levar em conta sua relevância para a equipe que terá de correr atrás delas.

O motivo precisa ir além dos benefícios para a empresa e despertar interesse real por parte dos funcionários.

T: Time based ou temporal

Como o nome sugere, esse critério detalha o prazo em que a meta deve ser concluída.

Para acertar no tempo, verifique sua realidade, recursos atuais, esforços necessários e quando seria conveniente – ou essencial – atingir esse resultado.

Sem um período definido, fica uma sensação de que ainda falta muito para o próximo passo, o que favorece a procrastinação e o adiamento de tarefas que poderiam ser finalizadas rapidamente.

Portanto, sempre determine um prazo para suas metas e objetivos.

Como definir meta temporal

Avalie a urgência e importância na hora de escrever uma meta temporal.

Crises e cenários dinâmicos pedem uma rápida execução, enquanto os objetivos costumam dispor de mais tempo.

Ainda assim, escolha um prazo que seja apenas o necessário para percorrer o caminho traçado, sem muito espaço para desvios.

Caso eles ocorram, você pode redefinir o tempo até alcançar a meta.

Só garanta que as coisas estão andando num ritmo aceitável.

Metas SMART: 2 exemplos práticos

Metas SMART
Metas SMART: 2 exemplos práticos

Agora que você conhece os cinco critérios para te aproximar da conquista das metas, trazemos exemplos para exercitar sua definição conforme a metodologia SMART.

Repare que essa ferramenta é bastante prática e pode ser aplicada tanto na sua empresa quanto na carreira e na vida pessoal.

Vamos partir de um problema comum, que será transformado em meta com suporte do sistema.

1. Sua pequena empresa está precisando de mais espaço

A demanda cresceu nos últimos meses, e você percebe que faltam lugares para os novos componentes da equipe e para os recursos materiais.

Então, a ideia é mudar para um local mais amplo.

Mas, antes, vamos passar pelo crivo do SMART.

  • S para especificar: escolha uma metragem, número ou tipos de cômodos que o novo imóvel deve ter. Por exemplo: 5 cômodos.
  • M para mensurar: comparando a metragem atual e a nova, é possível constatar o aumento no tamanho do espaço.
  • A para tornar atingível: confirme se há recurso financeiro e se o momento é viável para a mudança.
  • R para verificar a relevância: é importante para todos, pois a empresa terá uma distribuição mais confortável para atender a demanda atual.
  • T para conferir temporalidade: defina o melhor período para concretizar a meta.

Ela poderia ser expressa assim:

  • Mudança da empresa para um imóvel maior, com 5 cômodos, dentro de 6 meses.

2. Você deseja viajar para a Austrália

Esse sempre foi um sonho distante, mas o orçamento está apertado.

Chegou a hora de colocar os passos até o alvo na ponta do lápis.

  • S para especificar: qual seu objetivo nesta viagem? Quais cidades quer conhecer?
  • M para mensurar: faça uma lista de tarefas e monitore sua realização. Quanto ao dinheiro, é simples comparar o quanto tinha ao que for somando ao longo do tempo.
  • A para tornar atingível: selecione oportunidades de renda extra, agências de viagem e companhias aéreas com voos para aquele país e calcule o valor necessário.
  • R para verificar a relevância: é relevante, pois envolve um sonho e vai agregar novas experiências.
  • T para conferir temporalidade: a partir da renda extra e valores que conseguir poupar, faça as contas para chegar ao período necessário para ter o valor da viagem.

Essa meta poderia ser escrita assim:

  • Vou juntar pelo menos R$ 200,00 por mês para viajar para a Sidney em 2022.

Conclusão

Gostou de aprofundar os conhecimentos sobre as metas SMART?

E o que acha de colocar em prática o que aprendeu?

Seguindo nossas dicas e exemplos, você tem as ferramentas para conquistar os seus objetivos, sejam para seu empreendimento, projeto, vida profissional ou pessoal.

Se este conteúdo te ajudou, compartilhe com seus contatos.

Confira mais insights sobre gestão de empresas e pessoas no blog da FIA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *