Share

Agrotech: o que é, importância, mercado de atuação e exemplos

03 de maio 2022, 19:00

A revolução tecnológica também chegou ao agronegócio, e o conceito de agrotech tem tudo a ver com isso.

As atividades agropecuárias estão entre as mais antigas do mundo, mas isso não significa que elas não possam se atualizar e se modernizar, muito pelo contrário.

A substituição de métodos ultrapassados por atividades produtivas que otimizam a cadeia de suprimentos é uma necessidade cada vez mais urgente.

Uma demonstração de como esse tipo de movimentação tem se mostrado uma tendência é este relatório da AgTech Garage (em inglês), um dos principais hubs de inovação do agronegócio mundial.

Segundo o levantamento, são mais de 800 startups atuando no setor para trazer soluções como cultivo protegido, verticalização, fazendas urbanas, controle de pragas, drones e aeronaves tripuladas, previsão climática e muitas outras.

Você se interessa em saber mais sobre agrotech e a sua importância?

Ao longo deste artigo, vamos abordar o mercado de atuação dessas startups, as principais tendências e novidades do setor e também alguns exemplos de empresas do ramo.

Estes serão os tópicos tratados:

  • O que é agrotech?
  • Como é o mercado de atuação das agrotechs?
    • Robótica
    • Controle biológico
    • IoT (Internet das Coisas)
    • Softwares de gestão agrícola
    • Agricultura de precisão
    • Análise laboratorial
    • Consultoria
  • Como as startups podem auxiliar no crescimento e evolução do agronegócio?
  • Um panorama sobre as agrotechs no Brasil
  • Exemplos de agrotechs
  • As principais tendências e novidades do setor de agrotech.

O que é agrotech?

Agrotech é o termo usado para designar startups voltadas especificamente ao agronegócio, assim como também existem as fintechs, que otimizam serviços da área financeira através da tecnologia, por exemplo.

O nome agrotech é a fusão de duas palavras inglesas: agronomy (agronomia) e technology (tecnologia).

A ideia, portanto, é se valer de inovações para desenvolver métodos mais modernos e produtivos, facilitando e agilizando toda a cadeia de suprimentos do agronegócio.

Quando você garante maior produtividade em menor espaço físico e tempo e gastando menos, está não apenas tendo uma vantagem competitiva e sobrevivendo no mercado, mas também atendendo uma demanda que não para de crescer.

Afinal, até 2050, a tendência é que a população mundial seja de 10 bilhões de pessoas e a área de produção agrícola para atender toda essa gente seja de apenas 40% da extensão terrestre.

Ou seja, é preciso fazer mais com menos.

Como é o mercado de atuação das agrotechs?

Agrotech: o que é, importância, mercado de atuação e exemplos
Como é o mercado de atuação das agrotechs?

Agora que você já sabe o que é agrotech, talvez esteja se perguntando: o que essas startups têm feito de tão especial?

Listamos abaixo algumas soluções que essas empresas estão implementado no agronegócio, revolucionando o setor.

Robótica

A robótica é uma das implementações que traz mais benefícios ao produtor, uma vez que barateia a mão de obra e garante maior rapidez na produção.

De quebra, há um aumento no rendimento operacional, sobretudo nas tarefas mais mecânicas e repetitivas.

Controle biológico

O controle biológico é outro mecanismo muito utilizado no campo.

O método consiste em um de manejo de pragas a partir do uso de organismos vivos (micro ou macrobiológicos) como defensivos agrícolas.

Ou seja, a ideia é utilizar predadores naturais para exterminar populações que fazem mal aos vegetais.

As agrotechs fazem estudos de casos muito mais aprofundados e embasados para encontrar os organismos vivos ideais para acabar com cada tipo de praga.  

IoT (Internet das Coisas)

A IoT, aliada ao Big Data, talvez seja a solução que mais traz resultados práticos para as lavouras.

Graças a ela, é possível tomar decisões mais assertivas, garantir maior eficiência na solução de problemas, reduzir custos e desperdício e ainda gerenciar um grande volume de dados.

Uma aplicação prática e bem conhecida de Internet das Coisas é a colocação de sensores meteorológicos em sistemas de irrigação para trazer informações sobre a previsão do tempo.

Softwares de gestão agrícola

Os softwares de gestão agrícola disponíveis no mercado trazem duas soluções principais: a telemetria e o monitoramento em tempo real.

Com o suporte das agrotechs, essas ferramentas estão cada vez mais sofisticadas, ajudando no gerenciamento de frotas e equipamentos, na resposta mais rápida a emergências, no aumento da produtividade e na melhora da segurança como um todo.

Por exemplo, você pode coletar dados das condições do solo ou mesmo do seu maquinário a partir de sensores que enviam informações para uma central e as armazena na nuvem.

Agricultura de precisão

Segundo o relatório da AgTech Garage que já mencionamos, 16,74% das soluções implementadas por startups do agronegócio são na área de agricultura de precisão.

Aqui, diversas iniciativas estão sendo desenvolvidas para que se diminua o desperdício, aumente a produtividade e tenha um maior controle de todos os processos.

A tecnologia tem um papel fundamental nesse sentido.

A inteligência artificial, por exemplo, tem sido muito útil no controle do uso de agroquímicos nos sistemas de pulverização de lavouras.

Com o uso de metodologias inteligentes, é possível analisar imagens e mensurar a quantidade exata de produto necessária para pulverizar uma área.

Assim, o produtor corta gastos e ainda ajuda a proteger a natureza, diminuindo a dispersão de herbicidas e fungicidas no meio ambiente.

Análise laboratorial

Com a ajuda da agrotech, é possível ir muito mais a fundo nas análises laboratoriais de solos, espécies de vegetais, tipos de adubos e sementes e diferentes métodos de produção à colheita.

Afinal, a tecnologia oferece inúmeras possibilidades de testagem em ambiente controlado, similar ao externo, trazendo assim resultados mais condizentes com a realidade.

Consultoria

Para finalizar o mercado de atuação das agrotechs, vem a área de consultoria.

Aqui, especialistas realizam um trabalho personalizado, mapeando todos os processos do negócio do cliente e identificando os gargalos que podem estar prejudicando o melhor desempenho do objeto de estudo.

Um trabalho de consultoria conta basicamente com cinco etapas:

  • 1. Identificação dos fatores de risco
  • 2. Mensuração dos possíveis impactos
  • 3. Tratamento dos riscos
  • 4. Monitoramento e acompanhamento das ações
  • 5. Criação e implementação de uma política de riscos.

Como as startups podem auxiliar no crescimento e evolução do agronegócio?

O tempo em que a zona rural e as plantações eram vistas como regiões atrasadas, onde o progresso não chegava, ficou para trás – ou, ao menos, deveria ter ficado.

A tecnologia está à disposição.

Basta buscar conhecimento e permitir que essas inovações façam parte da sua rotina produtiva.

Um dos papéis das agrotechs é justamente esse: facilitar o acesso à informatização de processos dentro da cadeia de suprimentos do agronegócio.

No tópico anterior, você teve uma prévia das soluções que essas startups desenvolvem e os impactos positivos que elas trazem.

Portanto, é impossível desassociar o progresso tecnológico dentro do agribusiness e o aumento da produtividade.

Um panorama sobre as agrotechs no Brasil

As agrotechs no Brasil não param de crescer, atuam nos mais diversos setores, implementam melhorias em diferentes setores e injetam cada vez mais dinheiro no agronegócio.

Só para ter uma ideia, segundo o Distrito Mining Report – Agtech 2021, o investimento em agrotechs brasileiras ultrapassou os US$ 160 milhões em 2021, e o número vem crescendo a cada ano.

Outros números interessantes do AgTech Garage ajudam a traçar um panorama das startups voltadas ao agronegócio no Brasil:

  • Mais de 800 startups na comunidade
  • Tipos de soluções mais implementadas:
    • SI Gestão e tomadas de decisão (25,32%)
    • Agricultura de precisão (16,74%)
    • E-commerce, marketplace e plataformas de comercialização de produtos e serviços (12,12%)
    • Biotech e Nanotech (6,01%)
    • Rastreabilidade/qualidade de produtos (6,01%)
  • Segmentos atendidos:
    • Soja (+450 startups)
    • Cana de açúcar (300 startups)
    • Milho (300 startups)
    • Pecuária de corte (+150 startups).

O “Vale do Silício brasileiro” em termos de agrotechs fica em Piracicaba, no estado de São Paulo.

A região Sudeste, como um todo, é o principal polo tecnológico de startups voltadas ao agronegócio, com cerca de 62% do total de empresas do segmento no território nacional.

Exemplos de agrotechs

Agrotech: o que é, importância, mercado de atuação e exemplos
Exemplos de agrotechs

Já falamos bastante sobre o mercado de atuação das agrotechs e o panorama delas no Brasil.

Vamos conhecer algumas empresas de destaque do agronegócio?

Separamos cinco cases de sucesso para você se inspirar com suas histórias e iniciativas:

Agrosmart

Considerada a maior rede de agdata (dados sobre agricultura) da América Latina, a Agrosmart está presente em nove países, cobre mais de 48 milhões de hectares, com mais de 90 culturas diferentes e atende mais de 100 mil produtores.

Esta startup oferece como solução uma plataforma digital integrada que, entre outros objetivos, ajuda na resiliência climática e na prática de uma agricultura mais sustentável.

Na prática, funciona assim:

  • A Agrosmart avalia as necessidades do produtor, analisando variáveis importantes para o manejo das culturas
  • Depois, os dados coletados são enviados para a plataforma digital integrada e customizados conforme as necessidades
  • Para finalizar, a plataforma envia recomendações para que o produtor a hora certa de irrigar ou pulverizar, por exemplo.

Além do software, a empresa também oferece outras soluções, como pluviômetro digital e sensor de umidade de solo, por exemplo.

Grão Direto

Considerada por quatro anos consecutivos (de 2018 a 2021) uma das 100 startups para ficar de olho no Brasil, segundo a Startup to Watch, a Grão Direto é uma plataforma de compra e venda que reinventou a forma de negociar grãos.

Quem vende, pode acessar um índice exclusivo com o preço médio dos grãos na sua região, com estatísticas em tempo real e as principais notícias do mercado.

Além disso, o vendedor conta com muito mais oportunidades de mercado, uma vez que ele tem acesso a inúmeros contatos de compradores.

A plataforma disponibiliza ainda diferentes modalidades de negociação.

É possível fazer barter (pagamento pelo insumo através da entrega do grão na pós-colheita, sem a intermediação monetária) ou travamento futuro (o produtor trava o preço de custo mediante a realização de um contrato futuro), por exemplo, e também contar múltiplas condições de pagamento e frete.

E para quem compra grãos, quais as vantagens?

Sistemas e contratos digitais, uma equipe de suporte disponível para ajudar a fechar negócios e uma inteligência de mercado superior são alguns dos principais benefícios.

Vale lembrar que a plataforma é 100% virtual e você não gasta nada para negociar nela.

Syngenta Digital

A plataforma Cropwise da Syngenta Digital já transformou mais de 4 milhões de hectares ao redor do mundo, sobretudo no continente americano.

Com o objetivo de proporcionar ao produtor um controle total da sua lavoura, a ferramenta de inteligência artificial agiliza e simplifica a sua tomada de decisão, monitora a saúde da sua lavoura de maneira remota e cria zonas de manejo de forma rápida e intuitiva.

O grande diferencial do software são os recursos imagéticos.

Você consegue, por exemplo, acompanhar o desenvolvimento de plantas a partir de imagens de satélites, drones ou aviões, otimizar o uso de insumos, por meio de mapas para aplicação localizada, e ter uma visão periódica da propriedade para ter um controle dos processos mais de perto.

BovControl

Agrotech: o que é, importância, mercado de atuação e exemplos
BovControl

A BovControl é uma plataforma de geração de dados agropecuários que ajuda a garantir aos produtores digitalizados uma fonte extra de renda e, de quebra, ainda colabora com o meio ambiente com ações de neutralização de carbono.

No site da empresa, você consegue acompanhar em tempo real o impacto positivo que as soluções têm causado, como, por exemplo, o número de pessoas alimentadas e de carbono removido no último ano.

Focado na gestão de fazenda, o BovControl tem três funções principais:

  • Ecossistema BovControl: coleta dados do campo através do aplicativo para smartphones e, na sequência, faz um relatório para que você possa analisar resultados e tomar as decisões mais assertivas.
  • Painel de controle: permite acompanhar online tudo o que acontece na fazenda. Funciona como um centro de comando do seu campo.
  • Coleta e análise de dados: todo o processamento de informações e a parte de análise são feitas digitalmente. Esqueça o papel e a caneta.

Aegro

O software Aegro conta com mais de 5 mil usuários mensais e já ajudou mais de 4,7 mil fazendas em cerca de 2 milhões de hectares.

Com o compromisso de ajudar o negócio rural de ponta a ponta, a agrotech une as áreas financeira e operacional, dando maior controle ao produtor.

Entre as funções da plataforma estão:

  • Registro das atividades de manejo
  • Organização das contas a pagar e a receber
  • Análise e rentabilidade de cada talhão
  • Monitoramento de pragas e doenças
  • Controle de estoque e patrimônio.

Tudo isso em um só lugar e de forma 100% digital.

Solinftec

A Solinftec é uma agrotech 100% brasileira e que está entre as cinquenta maiores startups do segmento.

Por meio de sua plataforma Alice AI, a empresa coleta cerca de 3,7 trilhões de dados por ano, gerencia mais de 11 milhões de hectares em tempo real, recebe mais de 6 mil transações por segundo e reduz a emissão de aproximadamente 326 toneladas de gases do efeito estufa.

Como o nome da solução indica, a inteligência artificial de última geração é um dos seus principais diferenciais.

Com o slogan de ser o encontro do machine learning com a experiência de uma vida inteira no agro, a Alice AI recebe mais de 10 bilhões de informações do campo por dia.

É uma quantidade muito grande de informações para ajudar o produtor a tomar as melhores decisões, ainda que o cenário mude de hora em hora.

Isso garante menor risco, custos mais baixos e, consequentemente, maior produtividade.

Por se tratar de uma plataforma integrada, a Alice AI consegue concentrar todos os processos, do pré-plantio ao pós-colheita, em um só lugar.

Assim, é possível direcionar mão de obra, equipamentos, insumos e maquinário no momento certo e com o máximo de autonomia, entre diversas outras atividades.

As principais tendências e novidades do setor de agrotech

Agrotech: o que é, importância, mercado de atuação e exemplos
As principais tendências e novidades do setor de agrotech

A tecnologia é tão dinâmica que, às vezes, é difícil prever o que o futuro reserva para o setor das agrotechs.

Ao longo deste artigo, trouxemos uma série de novidades e tendências do agronegócio no que diz respeito à inovação, mas o que ainda está por vir?

Uma tecnologia bastante interessante, que já está sendo implementada em algumas fazendas, ainda em fase de testes e com um nível de excelência abaixo do desejado, é uma espécie de reconhecimento facial para animais.

Os dias das marcações rudimentares do gado estão contados.

A ideia é utilizar imagens de drones para identificar mais rapidamente o animal, sem a necessidade de realizar qualquer prática que prejudique o bem-estar dos rebanhos.

O setor de maquinários autônomos controlados remotamente e a urbanização das fazendas também são situações para ficar de olho.

Conclusão

Faz tempo que as fazendas eram sinônimo de ausência de tecnologia.

O agronegócio se reinventou e não ficou parado no tempo.

Com a ajuda das agrotechs, cresceu muito a importância da tecnologia no contexto da produção para aumentar a produtividade e diminuir custos.

Sobretudo no Brasil, em que a agricultura e a pecuária têm tanta força na economia nacional, é preciso prestar ainda mais atenção às atividades desempenhadas por essas startups do agronegócio.

Gostou deste artigo?

Para ter acesso a mais conteúdo sobre sobre Administração, Empreendedorismo e Performance Empresarial, continue lendo o blog da FIA.

Conheça também os nossos cursos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

SEM TEMPO PARA LER AGORA?
Fazer download do PDF
Sobre a FIA Business School:

Com um olhar sempre no futuro, desenvolvemos e disseminamos conhecimentos de teorias e métodos de Administração de Empresas, aperfeiçoando o desempenho das instituições brasileiras através de três linhas básicas de atividade: Educação Executiva, Pesquisa e Consultoria.

CATEGORIAS
POSTS EM DESTAQUE
FIQUE POR DENTRO!