Share

Balanced Scorecard: o que é, como utilizar e vantagens para as empresas

02 de fevereiro 2024, 16:00

Papel escrito BSC Balanced Scorecard
1/5 - (2 votes)

O Balanced Scorecard pode ser considerado uma das ferramentas indispensáveis para ajudar as empresas a suportar as “dores” do crescimento.

Todo negócio, sem exceção, precisa fazer investimentos, correr riscos e realizar esforços se quiser subir alguns degraus em seu mercado.

Acontece que, para isso, existem uma série de obstáculos e dificuldades a serem superadas.

Há gestores e líderes que, diante dessas dificuldades, acabam recuando, sem saber o que fazer ou com medo de arriscar a perder o mercado duramente conquistado.

O problema é que, quando uma empresas fica muito tempo fazendo mais do mesmo, a perda desse mercado pode ser questão de tempo.

O Balanced Scorecard, nesse caso, ajuda a delinear estratégias para que uma marca conheça suas próprias potencialidades e deficiências para passar à frente com segurança.

Continue lendo este texto até o final para entender como essa ferramenta pode ser utilizada e o que pode revelar sobre um negócio e o contexto que o cerca.

Veja os tópicos abordados:

  • O que é Balanced Scorecard (BSC)?
  • Quais são as vantagens do Balanced Scorecard para a sua empresa?
  • Quais são os 4 pilares do Balanced Scorecard?
  • Como fazer uma análise BSC na prática?
    • Como analisar os resultados?
  • Mapas estratégicos de Balanced Scorecard
  • O método BSC substitui o OKR?
    • Como podem se complementar?

Avance na leitura, entenda o que é Balanced Scorecard e como utilizar a favor de seus projetos!

Leia também:

O que é Balanced Scorecard (BSC)?

O Balanced Scorecard (BSC) é uma abordagem estratégica desenvolvida por Robert Kaplan e David Norton, ambos docentes da Escola de Negócios de Harvard, para medir e monitorar o desempenho organizacional.

A metodologia busca equilibrar indicadores financeiros com aspectos não financeiros, proporcionando uma visão abrangente alinhada aos objetivos estratégicos da organização.

A matriz BSC é um método que vai além das métricas financeiras tradicionais, incorporando perspectivas que incluem clientes e processos internos, além da curva de aprendizado.

Seu objetivo principal é dar uma compreensão holística do desempenho, promovendo o alinhamento estratégico, a comunicação e a melhoria contínua.

Quais são as vantagens do Balanced Scorecard para a sua empresa?

Uma das “revoluções” que os professores Kaplan e Norton trouxeram com o BSC é a mudança de paradigmas na análise de um negócio.

Durante muito tempo, prevaleceu a visão de que uma empresa bem gerida era aquela em que os setores financeiro e contábil estavam sob controle.

Porém, com a evolução natural das atividades produtivas, não demorou muito para os líderes perceberem que reduzir o entendimento de um negócio a isso não era suficiente.

Empresas têm sua própria personalidade e reagem às mudanças externas e internas.

Ao propor novas dimensões humanas de análise para “dissecar” um negócio, o BSC tornou-se rapidamente uma ferramenta de grande valor.

Os gestores que a utilizam não abrem mão da sua implementação nos mais variados projetos, e não é difícil entender por quê, conhecendo suas muitas vantagens.

Visão abrangente

Poucas ferramentas de gestão trazem um diagnóstico organizacional tão abrangente do desempenho de uma empresa quanto o BSC.

Ao incluir aspectos não financeiros, como satisfação do cliente, eficiência de processos internos e investimentos em aprendizado e crescimento, forma-se uma visão mais completa e equilibrada.

Essa visão abrangente faz com que as organizações compreendam não apenas o resultado financeiro, mas também os impulsionadores subjacentes desse desempenho.

Isso permite uma análise mais profunda das causas e efeitos, facilitando a identificação de áreas de melhoria e o que fazer para não estagnar.

Alinhamento estratégico

Como metodologia, o BSC dá um novo sentido às atividades porque conecta as metas e objetivos estratégicos da alta administração com as rotinas diárias em todos os níveis.

Ao traduzir a estratégia em indicadores tangíveis e metas específicas, a matriz BSC assegura que todos os membros da equipe compreendam e contribuam para a realização dos objetivos estratégicos.

Isso cria uma conexão direta entre as ações cotidianas e os objetivos de longo prazo, garantindo que todos estejam na mesma página em relação à direção estratégica.

Comunicação mais clara

Ao implementar essa abordagem estratégica, as empresas conseguem traduzir suas metas e estratégias, não importa quão complexas sejam, em indicadores tangíveis e compreensíveis.

Isso cria uma linguagem comum entre todos os níveis da organização, desde a alta administração até os colaboradores da linha de frente.

A comunicação torna-se mais clara, pois o BSC não se limita a métricas financeiras: ele incorpora perspectivas adicionais que demandam um esforço comunicacional.

É uma abordagem que, por “forçar” a comunicação, traz uma visão mais completa do desempenho, melhorando por tabela o clima organizacional.

Foco no longo prazo

Ao invés de concentrar-se exclusivamente em ações imediatas e resultados de curto prazo, o BSC incentiva as empresas a considerarem metas e objetivos que se estendem ao longo do tempo.

Essa ênfase no longo prazo é decisiva para o sucesso, pois permite antecipar desafios futuros e a implementação de estratégias para gerar valor.

O BSC também é um meio de encorajar as empresas a investirem em áreas como inovação, desenvolvimento de competências e construção de relacionamentos.

Não por acaso, quem o aplica costuma relatar que, ao longo do tempo, a empresa torna-se mais resiliente e sustentável, já que o negócio passa a ter clientes mais fiéis.

Feedback contínuo

Peças sobre a mesa representando as ferramentas indispensáveis para ajudar as empresas no Balanced Scorecard
O Balanced Scorecard ajuda a monitorar indicadores que identificam áreas de excelência e a serem aprimoradas

O feedback contínuo é um dos componentes que o Balanced Scorecard agrega ao ser implementado.

Isso porque o método estabelece um sistema dinâmico de medição de desempenho, permitindo a avaliação constante de indicadores em diversas perspectivas.

Esse processo contínuo de feedback dá às organizações insights valiosos sobre o progresso em relação aos objetivos estratégicos.

Ao monitorar regularmente os indicadores, as equipes podem identificar áreas de excelência, bem como possíveis desafios e oportunidades de aprimoramento.

Melhoria da tomada de decisão

A diversidade de perspectivas no BSC traz a reboque uma capacidade de avaliação mais equilibrada do desempenho.

Afinal, leva em consideração não apenas os resultados financeiros, mas também fatores críticos menos “tangíveis” para o sucesso, como a qualidade de vida no trabalho.

Isso capacita os tomadores de decisão a terem uma compreensão mais completa do impacto de suas escolhas em diferentes áreas do negócio.

A disponibilidade de informações provenientes do BSC também contribui para uma tomada de decisão mais lógica, baseada em dados, ainda que considere o fator humano, sempre cercado de alguma incerteza.

Sem contar que, ao considerar uma gama mais ampla de indicadores, as empresas podem antecipar e responder às mudanças no ambiente de negócios com uma margem de erro menor.

Avaliação de desempenho equilibrada

Ao incluir perspectivas financeiras e não financeiras, o BSC assegura uma avaliação mais completa e menos enviesada.

Isso significa que, além de considerar indicadores econômicos, como receitas e lucros, o sistema aborda aspectos que contribuem indiretamente para o sucesso de uma atividade.

Esse equilíbrio multifacetado reflete a compreensão de que o sucesso de uma organização não pode ser medido exclusivamente por indicadores financeiros, embora eles continuem sendo importantes.

Na verdade, o que o BSC faz é reconhecer a conexão entre diferentes áreas e a importância de equilibrar metas de curto prazo com a preparação para desafios futuros entre diferentes aspectos organizacionais.

Quais são os 4 pilares do Balanced Scorecard?

O BSC trabalha a partir de uma visão holística sobre um negócio e seus processos.

Ele coloca em evidência aspectos que, em geral, não são analisados de forma tão pragmática, formando assim um panorama mais abrangente.

Veja na sequência os seus pilares e as perspectivas que cada um deles representa.

Perspectiva Financeira

A Perspectiva Financeira no BSC representa um dos quatro pilares fundamentais desse modelo de gestão estratégica “herdados” dos métodos analíticos tradicionais.

Essa perspectiva, logicamente, concentra-se na avaliação do desempenho financeiro da organização, por meio de indicadores-chave que refletem a eficácia das estratégias implementadas.

Dentro dessa perspectiva, são consideradas métricas tradicionais, como receitas, lucros, retorno sobre investimento (ROI) e margens de lucro.

Esses indicadores são usados para avaliar a saúde financeira da empresa e dar uma visão clara do impacto das decisões estratégicas nas finanças.

Perspectiva do Cliente

Se existe o conceito de negócio “Customer Centric”, nada mais justo do que avaliar o quão centrada no cliente uma empresa é.

Por isso, dentro da perspectiva do cliente, há indicadores “obrigatórios”, como os índices de  satisfação do cliente, lealdade, retenção e aquisição.

Medir e compreender esses aspectos permite que as organizações identifiquem áreas de melhoria, ajustem estratégias de marketing e vendas e fortaleçam os relacionamentos.

Essa perspectiva ajuda as empresas a alinharem suas estratégias às necessidades do mercado, adaptando-se rapidamente às mudanças nas preferências dos clientes.

A satisfação do cliente passa a ser um indicador-chave, refletindo não apenas a qualidade dos produtos ou serviços, mas também a experiência geral do cliente com a marca.

Perspectiva dos Processos Internos

Ao analisar os processos internos, a matriz BSC procura identificar áreas de oportunidade para otimização, redução de custos e melhoria contínua.

Algumas medidas adotadas nesse sentido são a revisão de procedimentos, com a eliminação de gargalos e automação de tarefas, entre outras iniciativas.

Avaliar os processos internos não apenas aumenta a eficiência operacional, mas também impacta diretamente a qualidade do produto ou serviço.

A compreensão profunda desses processos permite que a organização identifique as atividades críticas que impulsionam o sucesso, bem como aquelas que podem ser aprimoradas para atender melhor às demandas do mercado.

Perspectiva de Aprendizado e Crescimento

Como o termo já diz, a quarta perspectiva do BSC está voltada para o desenvolvimento de competências internas, inovação e crescimento contínuo dos colaboradores e da organização como um todo.

A perspectiva do aprendizado e crescimento reconhece que o capital humano é um ativo valioso e que investir no desenvolvimento de habilidades, conhecimentos e competências dos funcionários é fundamental.

Para tanto, vale investir em programas de treinamento in company e na promoção de uma cultura organizacional que valoriza a aprendizagem.

Como fazer uma análise BSC na prática?

Gestor explicando como aplicar o Balanced Scorecard na empresa através de um projetor e lousa
Veja as perspectivas observadas pela matriz BSC

O BSC é sobretudo uma ferramenta prática de grande valor para orientar as ações no dia a dia.

Imagine uma empresa do ramo de tecnologia cuja estratégia seja consolidar sua posição no mercado, melhorar a satisfação do cliente e fortalecer sua capacidade de inovação.

Vamos abordar isso em cada perspectiva do BSC.

Perspectiva Financeira:

  • Aumentar a receita em 15% no próximo ano
    • Melhorar a margem de lucro em 5%
    • Aumentar a participação de mercado em 10%.

Perspectiva do Cliente:

  • Alcançar um Índice de Satisfação do Cliente de 90%
    • Aumentar o NPS para 30
    • Atingir uma taxa de retenção de clientes de 95%.

Perspectiva dos Processos Internos:

  • Reduzir o tempo de desenvolvimento de novos produtos em 20%;
    • Diminuir a taxa de erros de produção para menos de 2%;
    • Registrar pelo menos 3 novas patentes no próximo ano.

Perspectiva do Aprendizado e Crescimento:

  • Aumentar as horas de treinamento por funcionário em 15%
    • Reduzir a taxa de rotatividade para menos de 10%
    • Implementar pelo menos 5 ideias inovadoras sugeridas pelos colaboradores.

Monitoramento e Ajustes:

  • Monitorar regularmente o desempenho em cada área
    • Analisar resultados e ajustar estratégias conforme necessário
    • Manter equilíbrio entre objetivos financeiros, satisfação do cliente, eficiência operacional e desenvolvimento interno.

Como analisar os resultados?

Depois de aplicar o BSC, o que fazer para que os resultados se traduzam em melhorias tangíveis?

Nesse aspecto, o primeiro passo é comparar os índices obtidos com as metas estabelecidas em cada perspectiva do Balanced Scorecard.

A partir disso, a gestão poderá identificar desvios e tendências, avaliando o impacto nas estratégias.

Poderá, ainda, realizar análises qualitativas e quantitativas para ajustar as ações conforme necessário, sempre de acordo com o cronograma proposto.

O método BSC substitui o OKR?

Embora tenham objetivos parecidos, BSC e Objective Keys and Results (OKR) não são a mesma coisa.

Na verdade, considerando uma abordagem estratégica mais avançada, a integração de OKR e BSC em conjunto é o mais indicado.

A empresa pode, por exemplo, desenvolver sua estratégia com base em um planejamento tomando o BSC como referência, mas, para suas operações, utilizar OKRs anuais e trimestrais.

Como podem se complementar?

A abordagem conjunta BSC e OKR expande o foco, enquanto incorpora a agilidade dos OKRs para se adaptar a mudanças de mercado sem perder a orientação estratégica.

Essa sinergia é especialmente vantajosa para organizações que buscam consolidar sua presença no mercado sem abrir mão da inovação.

Em outras palavras: enquanto o BSC é mais indicado para tratar dos desafios e questões “macro”, o OKR é mais indicado para medir os resultados no nível operacional.

Conclusão

Ao entender o que é Balanced Scorecard, fica claro que estamos falando sobre uma ferramenta e um método para gestores que pretendem melhorar os resultados sem abrir mão do controle.

Também funciona como um instrumento analítico, podendo ser empregado com o objetivo de conhecer melhor o posicionamento de uma marca no mercado.

No blog da FIA, você sempre fica bem informado e aprende sobre as ferramentas de gestão fundamentais para alavancar sua carreira e negócios.

Referências:

https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/61
https://www.scielo.br/j/rae/a/8tsWdmvqJRWLJpPshHbrZyv/
https://www.researchgate.net/publication/355814684_Contribuicoes_para_a_Gestao_Estrategica_de_uma_Empresa_de_Engenharia_e_Construcao_a_partir_da_utilizacao_do_Balanced_Scorecard
https://www.nucleodoconhecimento.com.br/administracao/o-balanced-scorecard

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SEM TEMPO PARA LER AGORA?
Sobre a FIA Business School:

Com um olhar sempre no futuro, desenvolvemos e disseminamos conhecimentos de teorias e métodos de Administração de Empresas, aperfeiçoando o desempenho das instituições brasileiras através de três linhas básicas de atividade: Educação Executiva, Pesquisa e Consultoria.

CATEGORIAS
  • Categorias

POSTS EM DESTAQUE
FIQUE POR DENTRO!

Condições de parcelamento

Valor do curso

Valor do curso para empresa parceira

à vista

R$ 42.900,00

R$ 30.030,00

12 x

R$ 3.694,00

R$ 2.585,65

18 x

R$ 2.507,00

R$ 1.754,51

24 x

R$ 1.914,00

R$ 1.339,21

30 x

R$ 1.558,00

R$ 1.090,24

Condições de parcelamento

Valor do curso

Valor do curso para empresa parceira

à vista

R$ 45.400,00

R$ 31.780,00

12 x

R$ 3.910,00

R$ 2.736,33

18 x

R$ 2.653,00

R$ 1.856,76

24 x

R$ 2.025,00

R$ 1.417,25

30 x

R$ 1.649,00

R$ 1.153,78