Share

Ponto de equilíbrio contábil: o que é, como calcular e analisar

24 de novembro 2023, 16:00

Executivo identificando o ponto de equilíbrio contábil de sua empresa

Quem está à frente de um negócio, tem no ponto de equilíbrio contábil um importante indicador de performance financeira.

É mais uma forma de usar os números da empresa para entender a sua saúde e sustentabilidade quando o assunto é dinheiro.

No entanto, nem todos dão atenção a esse tipo de métrica.

Talvez isso aconteça porque conhecer o ponto de equilíbrio de uma empresa exige um esforço constante de mapear com rigor as despesas e receitas.

Dependendo do perfil do negócio, as oscilações no fluxo de caixa dificultam esse controle, ainda mais quando não se investe em ferramentas de automação.

Quando isso acontece, tudo fica mais difícil.

E a gestão se coloca em uma condição perigosa, já que ela deixa de ter dados para subsidiar as decisões.

Mas não há outro caminho: quem pensa em empreender, cedo ou tarde, vai precisar saber como calcular o ponto de equilíbrio e usá-lo para se orientar na gestão.

Aproveite este texto para começar agora.

Confira os tópicos abordados:

  • O que é ponto de equilíbrio contábil?
  • Por que o ponto de equilíbrio contábil é fundamental para as empresas?
  • Principais usos do ponto de equilíbrio contábil na contabilidade
  • Tipos de pontos de equilíbrio
  • Vantagens ao fazer o cálculo do ponto de equilíbrio contábil
  • Como calcular o ponto de equilíbrio?
  • Como analisar os resultados e pontos a entender
  • Fique de olho na margem de segurança
  • Ponto de equilíbrio contábil, financeiro e econômico são a mesma coisa?

Acompanhe até o final e entenda como usar a seu favor o ponto de equilíbrio na contabilidade.

O que é ponto de equilíbrio contábil?

O ponto de equilíbrio contábil (PEC) é um conceito financeiro que indica o nível de vendas necessário para cobrir todos os custos e despesas de uma empresa, sem gerar lucro ou prejuízo.

É o ponto em que as receitas igualam as despesas totais, incluindo tanto os custos fixos, como aluguel e salários, quanto os custos variáveis, como matéria-prima e comissões.

Logo, identificar o ponto de equilíbrio é fundamental para que as empresas compreendam a quantidade mínima de vendas necessária para se manterem operacionais.

E, assim, planejar estratégias financeiras de precificação e de gestão.

Por que o ponto de equilíbrio contábil é fundamental para as empresas?

“Não se gerencia o que não se mede”, já dizia o mestre da gestão William E. Deming.

Nesse mesmo sentido, o ponto de equilíbrio contábil desempenha um papel de extrema importância em empresas de todos os portes e setores.

Em primeiro lugar, ele dá uma compreensão clara dos custos e receitas, ajudando as empresas a estabelecer metas realistas e a tomar decisões embasadas.

Em outras palavras, permite ao gestor identificar a quantidade mínima que a empresa precisa vender para cobrir todos os seus custos e despesas, sem lucro nem prejuízo.

Obviamente, isso auxilia no planejamento e permite avaliar se a estrutura de custos da empresa é sustentável no longo prazo.

Além disso, entender como calcular o ponto de equilíbrio na empresa também influencia na definição de estratégias de precificação e na gestão dos recursos.

Isso acontece ao permitir que as empresas minimizem riscos financeiros e avaliem a sustentabilidade de suas operações.

Ou seja, quanto a empresa pode reduzir suas vendas antes de começar a ter prejuízos.

Através dele, é possível entender como variações nos custos ou nos preços de venda afetam o equilíbrio financeiro do negócio.

Sem contar que oferece dados concretos para decisões sobre investimentos, expansões, contratações e outros aspectos operacionais

Principais usos do ponto de equilíbrio na contabilidade

Da mesma forma que precisamos fazer exames constantes para saber como está nossa condição física, a saúde financeira de uma empresa depende da medição de certos indicadores financeiros.

No caso do ponto de equilíbrio contábil, temos uma ferramenta que permite determinar o nível mínimo de vendas necessário para cobrir os custos, orientando as decisões de preços, o planejamento financeiro e a avaliação de riscos.

Por meio dela, a contabilidade monitora o desempenho financeiro e ajuda na identificação de áreas de melhoria.

Também ao avaliar o lançamento de novos produtos ou entrar em novos mercados, o ponto de equilíbrio pode indicar a viabilidade econômica dessas decisões.

A ferramenta pode ser usada até mesmo nas estratégias de marketing e vendas.

Por exemplo, ao permitir avaliar o impacto de campanhas promocionais, descontos e outras ações.

Tipos de ponto de equilíbrio

Em contabilidade, diferentes rubricas dão margem para diferentes tipos de balanço.

É o que acontece, por exemplo, com a análise LAJIDA (Lucro Antes dos Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) ou EBITDA, em inglês.

E também com LAJIR (Lucro Antes dos Juros e Tributos), ou EBIT.

Isso porque, dependendo do tipo de dado contábil e financeiro que se pretende conhecer, é preciso em alguns casos incluir ou excluir certos indicadores.

Por exemplo: se queremos somente saber quanto a empresa lucrou com suas operações, é indicado que se retire dessa conta os dividendos obtidos em aplicações financeiras.

É com base nesse raciocínio que são calculados três tipos de ponto de equilíbrio, como veremos a seguir.

Ponto de equilíbrio contábil

Como já vimos, o ponto de equilíbrio contábil é calculado considerando os custos e as despesas contábeis, fundamental para entender as finanças de uma organização.

Ele serve para determinar o nível mínimo de vendas necessário para cobrir todos os custos e despesas contábeis, ou seja, é o ponto em que o lucro líquido é igual a zero.

O cálculo do ponto de equilíbrio contábil é feito pela soma de todos os custos e despesas fixas e variáveis, dividindo-se esse valor pela margem de contribuição, que é a diferença entre o preço de venda e o custo variável unitário.

Ponto de equilíbrio financeiro

Já o ponto de equilíbrio financeiro é uma métrica usada para avaliar a capacidade de uma empresa de cobrir seus custos fixos com os recursos financeiros disponíveis.

Ela é de grande utilidade para garantir que a empresa tenha fundos suficientes para pagar suas despesas fixas, como aluguel, salários e juros de empréstimos.

Por isso, é frequentemente usada para evitar problemas de liquidez.

Para calcular o ponto de equilíbrio financeiro, é necessário somar todas as despesas financeiras, tais como juros de empréstimos, aos custos fixos.

Em seguida, divide-se esse valor pela margem de contribuição, resultando no nível mínimo de vendas necessário para cobrir esses custos financeiros.

Ponto de equilíbrio econômico

O terceiro tipo de ponto de equilíbrio é o econômico, no qual a contabilidade leva em consideração o custo de oportunidade do capital investido na empresa.

Se a empresa pode obter um retorno de 10% a.a. em um ativo financeiro, pode não valer a pena investir no negócio se o retorno for inferior a isso.

O custo de oportunidade, portanto, é a diferença entre esses dois tipos de investimento.

Esse ponto de equilíbrio coloca na balança não apenas os custos fixos e variáveis, mas também o retorno e o custo que os proprietários ou investidores poderiam obter em outro investimento.

Para calcular o ponto de equilíbrio econômico, é necessário adicionar o custo de oportunidade do capital investido aos custos fixos e, em seguida, dividir esse valor pela margem de contribuição.

Vantagens ao fazer o cálculo do ponto de equilíbrio

Executiva apressando-se para identificar o ponto de equilíbrio de seus negócios
O ponto de equilíbrio de uma empresa traz informações valiosas para tomar decisões financeiras

Toda empresa, por maior que seja o seu porte, está sujeita aos riscos do mercado.

Até mesmo megacorporações hegemônicas em seus setores, se não tomarem certas medidas preventivas, correm o risco de, no mínimo, perder parte de seu market share.

A melhor resposta contra os riscos inerentes à atividade empresarial é cercar-se de conhecimento sobre o próprio negócio e o seu contexto externo.

O ponto de equilíbrio contábil, portanto, é mais uma maneira de tomar ciência das capacidades de uma empresa e, com isso, agir para mitigar certas ameaças.

Conheça na sequência algumas das vantagens que esse conhecimento pode trazer.

Planejamento financeiro

O ponto de equilíbrio de uma empresa traz informações para o planejamento financeiro ao determinar o nível de vendas necessário para cobrir todos os custos fixos e variáveis.

A partir disso, a empresa pode estabelecer metas realistas e evitar gastos excessivos, de modo que as decisões financeiras sejam tomadas criteriosamente.

Além disso, o planejamento financeiro baseado no ponto de equilíbrio possibilita a alocação de recursos de forma mais estratégica, garantindo que os investimentos sejam feitos com conhecimento de causa e não apenas no instinto.

Estratégias de precificação

Conhecer o ponto de equilíbrio contábil é o ponto de partida para determinar as estratégias de precificação.

Ao entender os custos envolvidos na produção e venda de um produto ou serviço, a empresa pode estabelecer preços que garantam não apenas a cobertura dos custos, mas também a geração de lucro.

No varejo, por exemplo, qualquer valor na casa dos centavos gera impactos sobre as vendas.

Nesse sentido, quanto mais informação ao estipular os preços, mais competitivos eles serão.

Identificação de margens de lucro

A análise do ponto de equilíbrio contábil também possibilita a identificação das margens de lucro em diferentes cenários de vendas.

Compreender a relação entre os custos e as receitas em diferentes níveis de atividade auxilia na definição de estratégias para aumentar a lucratividade.

A empresa pode explorar oportunidades para reduzir custos ou aumentar vendas, visando a ampliação das margens de lucro, garantindo assim a sustentabilidade e o crescimento do negócio.

Lembrando que, nesse caso, vale conhecer os três tipos de ponto de equilíbrio, já que a lucratividade é impactada por diversos fatores operacionais, fiscais e financeiros.

Tomada de decisões embasadas

Avaliar o desempenho financeiro da empresa é uma tarefa que demanda um processo muito bem estruturado de análise de dados.

Ao ter clareza sobre o ponto em que as receitas igualam os custos, os gestores podem tomar decisões estratégicas com maior margem de acerto.

Por exemplo, se a empresa está operando abaixo do ponto de equilíbrio, isso pode indicar a necessidade de ajustes nas estratégias de vendas ou de cortes de custos.

Em contrapartida, se estiver operando acima do ponto de equilíbrio, isso sugere que há potencial para investimentos.

Gestão de recursos

O conhecimento do ponto de equilíbrio contábil é a base em que se assenta o gerenciamento do caixa na empresa.

Ao determinar os níveis mínimos de vendas necessários para cobrir custos fixos e variáveis, os gestores podem alocar recursos com mais inteligência.

Isso evita o desperdício de recursos valiosos, como capital e mão-de-obra, em atividades que não contribuem para a rentabilidade.

Além disso, possibilita uma melhor compreensão de quando e onde é apropriado investir em expansões ou melhorias, garantindo que os investimentos sejam feitos de forma estratégica e sustentável.

Avaliação da sustentabilidade do negócio

Outra vantagem de conhecer o ponto de equilíbrio contábil é a capacidade de avaliar a sustentabilidade do negócio em longo prazo.

Quando o negócio opera constantemente abaixo do ponto de equilíbrio, isso sinaliza problemas financeiros iminentes.

A empresa pode ficar em risco de insolvência, o que ameaça sua continuidade.

Por outro lado, quando a empresa opera acima do ponto de equilíbrio, é um sinal positivo de sustentabilidade, indicando que ela tem potencial para crescer e prosperar.

Portanto, o ponto de equilíbrio contábil é uma ferramenta valiosa para avaliar a saúde financeira e a capacidade de sobrevivência de uma empresa.

Minimização de riscos financeiros

Identificar o ponto em que as receitas igualam os custos dá aos gestores a capacidade de avaliar de forma mais exata os riscos associados às operações.

Além disso, ter clareza sobre a quantidade de vendas necessárias para cobrir despesas permite que a empresa esteja preparada para variações no mercado.

Por exemplo, se o ponto de equilíbrio estiver alto, a empresa será mais sensível a quedas nas vendas, o que representa um risco financeiro elevado.

Definição de metas realistas

Não se pode estabelecer metas sem conhecer primeiro as condições em que um negócio opera.

Por isso, a compreensão do ponto de equilíbrio contábil é fundamental para a definição de metas realistas.

Ao saber quanto é necessário vender para cobrir custos, a empresa pode estabelecer metas de vendas baseadas em sua própria performance.

Isso evita estabelecer metas inatingíveis que podem causar problemas até no aspecto de recursos humanos, como a desmotivação e o absenteísmo.

As metas baseadas no ponto de equilíbrio são mais realistas e alcançáveis, gerando assim um ambiente de pressão, mas saudável.

Garantia de receitas previsíveis

Em empresas que trabalham com receitas previsíveis, é preciso gerar lucro e crescer de forma sustentável, com entradas constantes e rentabilidade dentro de um certo patamar.

Quando a empresa nesse perfil opera abaixo do ponto de equilíbrio, corre o risco de insustentabilidade, inviabilizando suas próprias operações por falta de recursos.

Dessa maneira, a compreensão do ponto de equilíbrio é um pilar para garantir que a empresa esteja preparada para enfrentar desafios e gerar receitas conforme o seu padrão de custos.

Como calcular o ponto de equilíbrio?

Líder explicando sobre o ponto de equilíbrio para seu funcionário em uma mesa cheia de anotações e dados
Existem alguns dados financeiros que serão utilizados para encontrar o PEC

O cálculo do ponto de equilíbrio é relativamente simples, mas demanda antes a apuração de certos dados financeiros.

Veja na sequência que dados são esses e como utilizá-los para encontrar o PEC.

Margem de Contribuição

A Margem de Contribuição (MC) é a diferença entre as receitas totais e os custos variáveis.

Ela representa a parcela do valor de venda que contribui para cobrir as despesas fixas e gerar lucro.

A fórmula para calcular a Margem de Contribuição é:

  • MC = Receita Total – Custos Variáveis.

Os custos variáveis incluem despesas diretamente relacionadas à produção ou venda de produtos ou serviços, como matérias-primas, mão de obra variável e comissões de vendas.

Despesas fixas

As despesas fixas são os custos que a empresa têm independentemente do volume de produção ou vendas.

Isso inclui despesas como aluguel, salários dos funcionários administrativos, depreciação de ativos e seguros, entre outros.

Em outras palavras: as despesas fixas são aquelas que não variam de acordo com o nível de atividade da empresa.

Calculando a Margem de Contribuição

Vamos supor que uma empresa venda um único produto por R$ 1 mil e tenha custos variáveis associados a esse produto de R$ 400.

Além disso, as despesas fixas mensais da empresa somam R$ 20 mil.

Aplicamos primeiro a fórmula:

  • MC =Receita Total – Custos Variáveis
  • Margem de Contribuição = R$ 1 mil – R$ 400 = R$ 600.

Calculando o ponto de equilíbrio contábil

Temos agora os seguintes dados:

  • MC = R$ 600
  • Despesas Fixas = R$ 20 mil.

O PEC, nesse caso, será:

  • PEC = Despesas fixas / MC
  • PEC = 20.000 / 600
  • PEC = 33,33.

Porém, para fins práticos, a empresa precisaria vender 34 unidades (arredondando para cima) para garantir que todas as despesas e custos sejam cobertos.

Portanto, o ponto de equilíbrio contábil é de 34 unidades.

Como analisar os resultados e pontos a entender

A partir dos resultados obtidos, chegamos à conclusão de que o ponto de equilíbrio de uma empresa que opera com esses indicadores é de 33,33 – ou 34 unidades.

Significa que ela precisará vender essa quantidade para cobrir as despesas fixas e atingir o ponto de equilíbrio.

Como não é possível vender uma fração de um produto, arredondamos para 34 unidades a meta que ela precisará comercializar para cobrir todas as despesas e não ter lucro nem prejuízo.

Assim, qualquer venda adicional acima de 34 unidades gerará lucro para a empresa.

Fique de olho na margem de segurança

Há ainda um outro cálculo fundamental associado ao do ponto de equilíbrio contábil, que é o da margem de segurança, cuja fórmula é:

  • Margem de Segurança = Vendas (Receita Atual) – Ponto de Equilíbrio.

No exemplo anterior, em que o ponto de equilíbrio era de 34 unidades de produto vendidas, se a empresa planejar vender 50 unidades, a margem de segurança seria:

  • Margem de Segurança =50 – 34 = 16 unidades.

Isso significa que a empresa pode vender 16 unidades menos do que o planejado antes de começar a ter prejuízo, considerando a meta estabelecida.

Ponto de equilíbrio contábil, financeiro e econômico são a mesma coisa?

Equipe debatendo sobre o ponto de equilíbrio contábil dos negócios da empresa
Vale a pena fixar alguns conceitos sobre os tipos de ponto de equilíbrio

Abordamos esta questão ao falarmos dos tipos de ponto de equilíbrio, mas não custa reforçar.

Quando falamos em ponto de equilíbrio contábil, financeiro e econômico, estamos nos referindo a conceitos distintos na área de finanças e gestão de negócios.

O primeiro é o nível de atividade em que a receita total se iguala aos custos totais, resultando em zero, tanto para o lucro quanto para o prejuízo.

Já o ponto de equilíbrio financeiro leva em consideração a estrutura de financiamento da empresa, incluindo custos financeiros como juros de empréstimos.

Reflete a capacidade da empresa de cobrir custos e obrigações financeiras.

Por fim, o ponto de equilíbrio econômico é o nível de atividade em que a empresa não gera lucro nem prejuízo, mas também incorpora um retorno sobre o investimento esperado pelos acionistas.

Isso significa que ele considera não apenas os custos financeiros, mas também o retorno financeiro desejado pelos investidores.

Cada um desses pontos de equilíbrio revela informações diferentes sobre a saúde financeira e o desempenho da empresa, atendendo a necessidades específicas de análise e gestão.

Conclusão

Viu neste texto que o ponto de equilíbrio contábil é um indicador de performance dos mais importantes.

Sem o seu cálculo, a empresa ficaria cega em relação a quanto precisa vender para conseguir no mínimo pagar pelas suas operações.

Quem pretende gerir um negócio ou atuar no varejo precisa conhecer a fundo esse valioso KPI.

Um caminho para isso é se especializar no curso de extensão Introdução à Contabilidade e Finanças Aplicadas ao Varejo em regime EAD.

Adquira uma formação diferenciada nesse curso desenvolvido pela equipe técnica do LABFIN (Laboratório de Finanças) com a colaboração de controllers de diversas empresas!

Referências:

https://anaiscbc.emnuvens.com.br/anais/article/download/2392/2392
https://sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/ponto-de-equilibrio,67ca5415e6433410VgnVCM1000003b74010aRCRD
https://www.dicionariofinanceiro.com/ponto-de-equilibrio-economico-contabil-financeiro/
https://www.crcpe.org.br/noticias/noticia.php?id=2010

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SEM TEMPO PARA LER AGORA?
Sobre a FIA Business School:

Com um olhar sempre no futuro, desenvolvemos e disseminamos conhecimentos de teorias e métodos de Administração de Empresas, aperfeiçoando o desempenho das instituições brasileiras através de três linhas básicas de atividade: Educação Executiva, Pesquisa e Consultoria.

CATEGORIAS
  • Categorias

POSTS EM DESTAQUE
FIQUE POR DENTRO!

Condições de parcelamento

Valor do curso

Valor do curso para empresa parceira

à vista

R$ 42.900,00

R$ 30.030,00

12 x

R$ 3.694,00

R$ 2.585,65

18 x

R$ 2.507,00

R$ 1.754,51

24 x

R$ 1.914,00

R$ 1.339,21

30 x

R$ 1.558,00

R$ 1.090,24

Condições de parcelamento

Valor do curso

Valor do curso para empresa parceira

à vista

R$ 45.400,00

R$ 31.780,00

12 x

R$ 3.910,00

R$ 2.736,33

18 x

R$ 2.653,00

R$ 1.856,76

24 x

R$ 2.025,00

R$ 1.417,25

30 x

R$ 1.649,00

R$ 1.153,78