Share, , Google Plus, Pinterest,

Posted in:

Valuation: o que é, exemplos e como fazer?

valuation o que é exemplos como fazer
5 (100%) 16 votes

Se você é ou deseja ser um empreendedor, talvez já tenha ouvido o termo valuation.

Mas para que serve o valuation? E como calcular o valuation da sua empresa?

De certa forma, todo dono de um negócio já fez algum tipo de avaliação, seja comparando com outros empreendimentos, seja somando o valor dos bens que possui.

Mas será que essa é a forma correta?

E será que o valuation serve somente quando se vai vender a empresa?

Se você quer conhecer mais a respeito desse importante tema da área de finanças, não deixei de ler os tópicos que iremos abordar neste guia completo:

  • O que é Valuation?
  • Qual é a importância do Valuation?
  • Aplicações do valuation
    • Gestão de carteiras
      • Analistas fundamentalistas
      • Investidores ativistas
      • Grafistas
      • Negociadores da informação
      • Market timers (investidores de momento)
      • Efficient marketers (investidores passivos)
    • Aquisição de empresas
    • Finanças corporativas
    • Fins legais e tributários
  • Quais são os principais métodos do Valuation?
    • Fluxo de caixa descontado
    • Avaliação relativa
    • Avaliação por direitos contingentes
  • Como calcular o Valuation de uma empresa: descubra o passo a passo de como avaliar uma empresa
    • Qual é a fórmula do Valuation?
    • Como fazer um Valuation de uma empresa grande?
    • Como fazer um Valuation de uma empresa pequena?
    • Volume de investimento
    • Participação societária do investidor
  • O que não fazer ao avaliar e negociar uma empresa?
  • 7 dicas essenciais ao avaliar uma empresa
    • Administre o viés: assuma uma postura profissional
    • Utilize o método de valuation mais indicado para cada situação
    • Nas startups, o potencial de crescimento é muito importante
    • O valuation pode ajudar na melhora da gestão do seu negócio
    • Lembre que o valuation é uma estimativa
    • O capital humano é muito importante
    • Aproveite os benefícios do valuation
  • Qual o papel do empreendedor?

Boa leitura!

valuation o que é
O Valuation é algo vital no momento de sentar na mesa para negociar

O que é valuation?

Valuation é um termo em inglês que significa “Avaliação de Empresas”, “Valoração de Empresas” ou “Arbitragem de Valor”.

Esta área de finanças estuda o processo de se avaliar o valor de determinado ativo, financeiro ou real.

Pela definição adotada, percebemos que a técnica de valuation pode ser aplicada para determinar o valor de um ativo qualquer, seja ele real, como um imóvel, ou financeiro, como uma ação, ou o valor de uma dívida, como uma debênture; e ainda o valor global de uma empresa.

É comum também ouvirmos o termo valuation como o resultado do processo de avaliação.

Assim, por exemplo, podemos nos deparar com a seguinte afirmação: “o valuation da empresa ‘X’ é de R$ 500 milhões”.

Neste artigo, iremos discorrer sobre o processo de avaliação, ou seja, como calcular o valuation de um ativo, real ou financeiro.

O cálculo do valuation parte do princípio de que qualquer ativo vale algo em razão dos fluxos de caixa futuros que irá proporcionar ao investidor.

Dito de outra forma, quando alguém investe em determinado ativo, o objetivo é receber algum valor em troca no futuro, e especialmente, que esse valor seja uma quantia de dinheiro superior ao investimento realizado.

Desse modo, o valuation procura relacionar o valor do ativo ao nível, à incerteza e a expectativa de aumento nos fluxos de caixa futuros que o investimento irá proporcionar.

É lógico que aquisições realizadas puramente por questões emocionais ou estéticas estão fora do escopo do valuation.

Devemos ter em mente que o processo de avaliação, o valuation, não é uma ciência exata.

Por outro lado, também não se deve considerar o valuation como uma forma de arte, na qual os números podem ser manipulados para atingir o valor desejado.

Ao calcular o valuation de um determinado ativo, o analista trabalha com muitas estimativas e se depara com incertezas.

Portanto, quanto mais explícitas forem as premissas do cálculo, maior clareza teremos acerca do resultado encontrado.

Pronto para aprender mais? Então, vamos em frente!

Qual é a importância do valuation?

Antes de prosseguirmos, é preciso esclarecermos alguns conceitos.

Você sabe a diferença entre valor, custo e preço?

De forma resumida podemos dizer que valor está relacionado à utilidade ou benefício que um determinado bem ou serviço nos proporciona.

O conceito, portanto, apresenta um certo grau de subjetividade, que é conhecido como o paradoxo do valor.

Custo, por outro lado, pode ser definido como a quantia de moeda (dinheiro) que é gasta no processo de fabricação, ou na aquisição de outros bens e serviços.

E, finalmente, preço é o montante recebido pelo vendedor de um bem ou serviço.

Então, com base nas definições de valor, custo e preço, percebemos que custo e preço podem apresentar um montante superior ou inferior ao “valor” do bem ou serviço.

O valuation serve exatamente para determinar o valor justo de um ativo, o que é fundamental para uma boa negociação, seja de compra ou venda.

Aplicações do valuation

Damodaran, em seu livro Avaliação de Empresas, nos apresenta a utilidade do valuation nas atividades relacionadas à gestão de carteira de ativos, aquisições de empresas, finanças corporativas e para fins legais e tributários.

Gestão de carteiras

Em relação à gestão de carteiras, o valuation pode ter uma relevância maior ou menor em função da filosofia de investimento adotada pelo investidor.

Vamos entender melhor?

Analistas fundamentalistas

São representados pelos investidores de valor (interessados em ativos instalados e na sua aquisição por um preço menor do que o real) e os investidores de crescimento (interessados na avaliação de ativos voltados para o crescimento e na possibilidade de sua compra com descontos).

Para esses analistas, o valuation assume um papel principal, uma vez que a base da análise fundamentalista é de que o valor justo de uma empresa está diretamente relacionado às suas características financeiras, tais como expectativas de crescimento, riscos associados e fluxos de caixa.

Talvez o maior exemplo dessa filosofia seja o megainvestidor Warren Buffett, um dos homens mais ricos do mundo segundo a revista Forbes.

Investidores ativistas

Procuram empresas com reputação de má gestão e, então, exercem influência sobre a administração, mudando as políticas de financiamento, investimentos e dividendos.

A essência dessa filosofia de investimento é determinar o valor que será gerado a partir das mudanças implementadas – por isso, a importância do valuation.

Grafistas

Partem da premissa de que o investidor médio é impelido mais pela emoção do que pela análise racional.

Acreditam que os preços dos ativos são determinados pelo conjunto de variáveis financeiras e pela própria psicologia do investidor.

O valuation, apesar de não ser central nessa filosofia, pode colaborar para a determinação das linhas de sustentação e resistência nos gráficos de preço.

Negociadores da informação

Os adeptos dessa filosofia acreditam que o preço das ações oscilam em função da divulgação de informações sobre a empresa, de modo que buscam se antecipar aos demais participantes do mercado para negociarem os ativos tão logo tenham conhecimento de um novo evento.

O valuation desempenha o papel de determinar o valor justo da empresa, sub ou super avaliada, e como as suas ações reagem à divulgação das informações no mercado.

Market timers (investidores de momento)

A premissa por trás dessa filosofia de investimento é de que os retornos de momento no mercado podem ser maiores do que para ações selecionadas e mantidas a longo prazo.

Dessa forma, o valuation pode ser utilizado para avaliar um grande número de ações e determinar se o mercado, como um todo, está sub ou super avaliado naquele momento.

Efficient marketers (investidores passivos)

A premissa básica para esses investidores é de que o preço de mercado é a melhor estimativa do valor justo de uma empresa.

Dessa maneira, o valuation é utilizado para determinar as premissas de crescimento e risco, as quais influenciam o preço de mercado desses ativos.

Aquisição de empresas

No tocante à aquisição de empresas, o valuation exerce um papel de destaque na negociação.

Isso porque, de um lado, os vendedores tentar estimar o melhor valor de venda. De outro, os compradores avaliam o valor que será gerado pela aquisição.

Para tanto, levam em consideração fatores como a sinergia em decorrência da compra e o valor que as mudanças na administração, resultantes do controle, irão produzir.

Finanças corporativas

Em relação às finanças corporativas, o valuation irá desempenhar um papel de acordo com o ciclo de vida no qual a empresa está.

As startups, empresas em fase de expansão, precisam ter consciência do real valor do seu negócio para abordarem investidores de capital de risco.

Caso contrário, podem não conseguir os recursos de que necessitam.

Já as empresas maduras que querem abrir o seu capital, se deparam com a necessidade de avaliar o valor pelo qual serão ofertadas no mercado, uma vez mais o valuation irá subsidiar essa decisão.

Por último, como o objetivo das finanças corporativas é criar valor para os acionistas, o valuation é determinante para compreender as relações entre as decisões financeiras, decorrentes da estratégia adotada, e o valor da empresa no mercado.

Fins legais e tributários

Para fins legais e tributários existem muitas aplicações do valuation, como na entrada ou saída de um sócio na empresa.

Outra situação possível são em questões nas quais ocorre uma disputa judicial, como o divórcio de um acionista ou no caso de falecimento de um sócio.

Em todas essas ocasiões, se faz necessário determinar o valor justo de uma empresa – e o valuation contribui de modo eficaz para esse objetivo.

valuation quais são os principais metodos
Dá para estabelecer uma lista com três métodos para cálculo do valuation

Quais são os principais métodos do valuation?

Basicamente há três métodos para o cálculo do valuation.

O primeiro deles é o fluxo de caixa descontado, em inglês discounted cash flow (DCF), que relaciona o valor de um ativo determinado ao valor presente dos fluxos de caixa que serão gerados por esse ativo no futuro.

O segundo método é a avaliação relativa, também conhecido como avaliação por múltiplos.

Nessa abordagem, o analista procura determinar o valor de um ativo com base no valor de ativos comparáveis, utilizando uma variável comum a ambos, como fluxos de caixa, ebitda ou vendas.

E o terceiro método é a avaliação por direitos contingentes, conhecida no mercado como opções reais, que utiliza modelos de precificação de opções para estimar o valor de ativos que possuem as mesmas características da opção.

Na sequência, vamos detalhar melhor cada um desses métodos.

Fluxo de caixa descontado

O método do fluxo de caixa descontado (DCF) é o que possui melhor fundamentação teórica, sendo um dos mais utilizados.

Para o método DCF, o valor de um ativo é representado pelo valor presente dos fluxos de caixa futuros desse ativo, descontados a uma taxa que represente o risco do investimento.

Considerado o grau de risco, os ativos com fluxos de caixa maiores e mais estáveis devem valer mais do que aqueles menores e mais voláteis.

Cada tipo de ativo irá gerar um fluxo de caixa diferente. Dessa maneira, os dividendos são os fluxos de caixa gerados pelas ações, os juros e o valor de face para os instrumentos de dívidas (obrigações) e fluxos de caixa após impostos para uma empresa.

Os fluxos de caixa descontados podem ser classificados de três maneiras:

  • Segundo a premissa da continuidade operacional, em contraposição a um conjunto de ativos
  • Fazendo uma distinção entre avaliar o patrimônio líquido de um negócio e avaliar o negócio em si
  • Como um valor baseado nos retornos em excesso e no valor presente ajustado.

O modelo mais utilizado é o que considera a continuidade operacional, e será utilizado neste artigo como base para exemplificação.

Avaliação relativa

No cálculo do valuation pelo método da avaliação relativa ou por múltiplos, o valor de um ativo toma como base ativos similares que possuem uma variável comum.

dois componentes principais no conceito de avaliação relativa:

  • A noção de ativos comparáveis ou similares
  • O preço padronizado.

Na prática, ativos comparáveis ou similares são como empresas que estão no mesmo mercado de atuação da avaliada.

Já o preço padronizado é a divisão do valor de mercado por alguma medida que esteja relacionada a esse valor, como faturamento, quantidade de clientes, ebitda, etc.

Em relação a aplicação do valuation por múltiplos, há três variações possíveis:

  • Comparação direta
  • Média do grupo de pares
  • Média do grupo de pares ajustada pelas diferenças.

Avaliação por direitos contingentes

O último método de valuation é a avaliação por direitos contingentes, mais conhecida como avaliação por opções reais.

Um direito contingente, ou uma opção, é um ativo que proporciona um retorno somente em certas circunstâncias.

Como exemplo, temos as opções de compra de ações (call), que somente serão exercidas se o preço preestabelecido exceder um determinado valor ou ficar abaixo desse valor para as opções de venda (put).

O valuation pelo modelo de opções reais foi criado por Black & Scholes, em seu artigo de 1972.

Nele, uma opção tem seu valuation determinado em decorrência de uma das seguintes variáveis:

  • O valor corrente ou a variância do valor do ativo objeto
  • O preço de exercício e o prazo de vencimento da opção
  • A taxa de juros livre de risco.

A seguir, vamos demonstrar o passo a passo para o cálculo do valuation pelo método do fluxo de caixa descontado, sob a premissa da continuidade operacional.

valuation como calcular empresa pequena
Não dá para começar o valuation de uma empresa sem alguns dados básicos

Como calcular o valor de um empresa: descubra o passo a passo de como avaliar uma empresa

Para calcularmos o valuation pelo método do fluxo de caixa descontado, são necessários três dados fundamentais:

  • Calcular os fluxos de caixa previstos
  • Estabelecer uma taxa de desconto, que deve refletir os riscos associados ao investimento
  • Estimar o crescimento esperado.

Em relação à projeção dos fluxos de caixa, é necessário o estabelecimento das premissas, que são as base sobre as quais a projeção será realizada.

Como exemplo de premissas, temos:

  • Quais produtos serão vendidos
  • Qual será a região geográfica a ser atendida pela empresa
  • Definir se no futuro outros produtos serão oferecidos
  • Quais os canais de vendas serão utilizados
  • Quais serão as despesas de comercialização e de propaganda
  • Qual a previsão da inflação futura.

Quanto a taxa de desconto, é comum recorrer ao custo do capital utilizado, seja ele próprio, de terceiros, ou ainda uma combinação de ambos.

Quando existe mais de uma fonte de recursos esse custo é conhecido como custo médio ponderado de capital (CMPC), em inglês Weighted Average Capital Cost (WACC).

Com base na taxa de desconto utilizada, os fluxos de caixa futuros serão trazidos a valor presente e somados.

Do resultado encontrado, será diminuído o investimento inicial, chegando-se ao valor presente líquido.

A taxa de crescimento é muito importante, especialmente, para as startups, que se preocupam com a sua escalabilidade, ou seja, a capacidade de aumentar seu faturamento, sem aumentar seus custos na mesma proporção.

No valuation de uma startup, ou de uma empresa de tecnologia, como o Google, a taxa de crescimento é a principal responsável pela valorização da empresa.

Qual é a fórmula do valuation?

O valuation pode ser representado pela seguinte fórmula:

Va = Fc1 + Fc2 + Fc3 + … + Fcn + Fc (1+g) (-) Inv0

(1+i)1 (1+i)2 (1+i)3 (1+i)n (i – g)

Onde:

  • Va = Valuation
  • Fcn = Fluxos de caixa, em cada período projetado
  • i = taxa de desconto, ou custo do capital
  • n = número de períodos
  • g = taxa de crescimento
  • Inv0 = investimento inicial (na data zero).

Como fazer o valuation de uma empresa grande?

No caso de grandes empresas, o cálculo do valuation pode até se tornar mais fácil.

Se for o caso de uma empresa de capital aberto, muitas informações estarão disponíveis, como as demonstrações contábeis completas, que incluem balanço patrimonial, demonstrações de resultado, fluxos de caixa, relatório da administração, entre outros relatórios.

Além disso, muitos analistas publicam as opiniões a respeito dessas empresas, a evolução do mercado em que atuam, as perspectivas para o futuro e mais.

Mas atenção: lembre-se de que a abordagem ou método que será utilizado para o cálculo do valuation irá depender da sua finalidade.

Por exemplo, se você é um investidor, cujo objetivo é ficar por bastante tempo com as ações de uma determinada empresa, faz todo o sentido utilizar o método do fluxo de caixa descontado, pois nele será possível estimar a valoração da empresa a longo prazo.

De outro modo, se o investidor tem o objetivo de identificar ações baratas, com potencial de ganhos, para vendê-las no curto prazo, talvez seja melhor usar o método dos múltiplos ou ainda as opções reais.

Outro ponto que facilita o cálculo do valuation para as grandes empresas, é que são empresas maduras, com histórico de crescimento, faturamento e investimentos, o que diminui a incerteza em relação ao desempenho futuro da organização, resultando em menos riscos assumidos.

Como fazer o valuation de uma empresa pequena?

A principal característica dos pequenos e médios negócios é o seu potencial de crescimento.

Essa variável precisa ser muito bem dimensionada para uma empresa iniciante.

As startups passam por várias fases de captação de investimentos, como o investimento pelo capital semente, investidores anjo, capital de risco e abertura do capital.

Assim, antes de se tornarem lucrativas, um erro no valuation dessas empresas pode ser determinante para o seu fim.

Caso queira saber mais a respeito de como fazer um plano de negócios para a captação de investimentos voltado para negócios digitais, a Fundação Instituto de Administração (FIA) tem um curso na medida para você!

Volume de investimento

De acordo com um levantamento feito pela Endeavor, com base no Brazilian Startup DealBook, que é uma base de dados sobre investimentos feitos em startups no Brasil, o investimento médio, por fase de investimento é muito semelhante ao do que acontece nos EUA (excluída a diferença cambial).

Veja o gráfico a seguir.

gráfico endeavor valuation

Analisando o gráfico, no Brasil, os investidores estão dispostos a aportar recursos da ordem de R$ 1,7 milhão para negócios em sua fase inicial, R$ 5,2 milhões para os que se encontram na primeira fase de expansão e até R$ 15,8 milhões para a segunda fase.

Participação societária do investidor

A respeito da participação do investidor na sociedade, os dados do Brasil não estão disponíveis, pois se tratam de empresas de capital fechado, sem obrigatoriedade de publicação.

Considerando a proximidade dos dados relativos ao volume de investimento entre as startups brasileiras e norte-americanas, podemos concluir que o percentual de participação societária no Brasil deve ser bem próximo ao do que ocorre nos EUA.

A empresa Pitchbook, situada em Seattle, fornece dados sobre capital de risco, fusões e aquisições. Com base nessas informações, a Endeavor publicou o gráfico que segue.

grafico valuation participação média do investidor

A partir do gráfico, podemos concluir que, desde 2015, a participação média do investidor, independente da fase de investimento em que a empresa se encontra, tem ficado na faixa de 20% a 25%.

O que não fazer ao avaliar e negociar uma empresa

valuation o que não fazer avaliar e negociar empresa
Não incorra nestes erros ao fazer o valuation de uma empresa

Em primeiro lugar vamos a algumas definições:

  • Pré-money: é o volume de recursos investidos pelo empreendedor, antes da participação do capital de risco
  • Postmoney: é o total de recursos, somados o investimento inicial, mais o capital de risco aportado.

Especialmente para as startups, o valuation não é fruto do seu histórico de faturamento, participação no mercado, lucratividade, e sim do seu potencial de crescimento.

A partir disso, a maioria dos empreendedores, acredita que a sequência do valuation e negociação da participação acionária deve ser a seguinte:

  1. Calcular o valuation da empresa
  2. Estimar o volume do investimento necessário
  3. Calcular a participação societária do investidor.

Desse modo, se um investidor de capital de risco aplicar R$ 3 milhões, e se o postmoney da empresa ficar em R$ 9 milhões, significa que a participação acionária do investidor de risco será de 33%.

Entretanto, a forma mais adequada a ser utilizada é a seguinte:

  1. Definir o investimento necessário
  2. Negociar a participação societária
  3. Calcular o valuation da empresa.

Dito de outra maneira, ao investir R$ 3 milhões por uma participação de 30%, significa que o valuation postmoney da empresa é de R$ 10 milhões (R$ 3 milhões, dividido por 30%).

Na prática, o cálculo do valuation é a última coisa a ser feita.

valuation dicas essenciais avaliar empresa
Confira estas dicas para ter melhor eficiência no processo de valuation

7 dicas essenciais ao avaliar uma empresa

Ao chegar até aqui, já temos um bom entendimento sobre o que é valuation.

Então, confira agora algumas dicas para guiar você durante o processo de avaliação da sua empresa.

1. Administre o viés: assuma uma postura profissional

Por motivos óbvios o fundador de uma empresa está ligado emocionalmente ao negócio.

Dessa forma, o ideal é utilizar os serviços de um profissional para fazer o valuation.

2. Utilize o método de valuation mais indicado para cada situação

A finalidade do valuation deve ser levada em consideração na hora de escolher o método a ser utilizado.

3. Nas startups, o potencial de crescimento é muito importante

Nas empresas em fase de expansão, que ainda não estão com o negócio consolidado, o potencial de crescimento tem um peso muito grande no valuation.

Nessas situações, é fundamental dispor de um bom plano de negócios, capaz de mostrar como a empresa irá fazer para alcançar os seus objetivos.

4. O valuation pode ajudar na melhora da gestão do seu negócio

O processo de valuation é revelador.

A partir dele, fica mais claro quais são os produtos mais rentáveis, qual o investimento que proporciona maior retorno e também quais custos podem ser cortados.

5. Lembre que o valuation é uma estimativa

Por mais técnico que possa parecer, o cálculo do valuation é uma estimativa de valor.

Isso significa que ele deve servir como um parâmetro para negociações e não como um valor absoluto.

6. O capital humano é muito importante

Ter pessoas capacitadas faz toda a diferença para o futuro do empreendimento.

No caso de startups, a presença dos fundadores no dia a dia da empresa é um fator positivo na abordagem com investidores de capital de risco.

7. Aproveite os benefícios do valuation

Durante o processo de valuation, muitas informações acerca do negócio são levantadas e dispostas de forma organizada.

Aproveite esses dados para entender os pontos fortes e fracos e crie estratégias de crescimento.

valuation papel empreendedor
O empreendedor tem o holofote voltado para ele quando se trata de crescimento

Qual o papel do empreendedor?

O empreendedor assume um papel de destaque no crescimento do negócio.

Ele é o fator dinâmico dentro da empresa, seja pela concepção da ideia inicial, seja pela implementação de práticas voltadas para a consolidação do empreendimento.

Dentre essas atividades podemos destacar:

  • Criar uma cultura de governança corporativa
  • Profissionalizar a gestão
  • Definir e documentar os processos
  • Promover o fortalecimento da marca
  • Desenvolver novos produtos
  • Ampliar a carteira de clientes
  • Buscar parcerias de longo prazo.

Essas são algumas atitudes que contribuem para diminuir o risco do empreendimento, resultando no aumento do valor da empresa, o qual será captado pelo valuation.

valuation conclusão
Nunca perca de vista o valuation de sua empresa. Essa informação é vital

Conclusão

Conhecer o valuation do seu negócio, seja uma pequena ou grande empresa, é de fundamental importância em várias situações.

Dentre as situações, podemos citar a entrada ou saída de um sócio, a abertura de capital, a venda da sua participação ou o aprimoramento da gestão financeira.

Como vimos, existem três métodos para o cálculo do valuation, o fluxo de caixa descontado, avaliação relativa ou por múltiplos e as opções reais.

Escolha o mais apropriado de acordo com a finalidade com a qual será utilizado o valuation.

O valuation não é um número exato, mas um parâmetro para a negociação.

Nos estágios iniciais de uma empresa, a participação ativa do fundador se constitui em um aspecto positivo na captação de investimentos.

E, para se tornar um especialista em valuation, não deixe de conferir o curso de extensão que a FIA preparou para você!

Tem uma dúvida ou quer deixar sua opinião? Registre um comentário!

O artigo foi útil? Compartilhe!

One Comment

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *