Share, , Google Plus, Pinterest,

Posted in:

Flow: o que é, para que serve e técnicas

Flow

Mesmo que nunca tenha ouvido falar em flow, é provável que você tenha vivenciado essa experiência.

Pode ter sido enquanto conversava com um amigo por horas, chegando a perder a noção do tempo.

Ou quando recebeu uma demanda de trabalho desafiadora, que o manteve concentrado por um longo período, totalmente absorvido por sua tarefa.

Esse estado, chamado fluxo, é bastante desejado por todos, principalmente por seus efeitos positivos, como o aumento da produtividade e do bem-estar.

Por isso, preparamos este artigo para contar como funciona, aplicações e de que maneira você pode alcançar o flow.

Confira quais são os tópicos para a sua leitura:

  • O que é o flow?
  • Como funciona o flow?
  • Para que serve o flow?
  • Como entrar em flow no trabalho?
  • Como entrar em flow nos estudos?
  • Vantagens do flow
  • Técnicas para desenvolver o flow.

Ficou interessado? Então, continue lendo.

O que é o flow?

O que é o flow?
O que é o flow?

Flow é uma palavra que define um estado em que estamos completamente envolvidos em uma atividade. Ou seja, em que encontramos o fluxo.

Idealizador desse conceito, o psicólogo Mihaly Csikszentmihalyi descreve o flow como:

Um estado mental que acontece quando uma pessoa realiza uma atividade e se sente totalmente absorvida em uma sensação de energia, prazer e foco total no que está fazendo. Em essência, o flow é caracterizado pela imersão completa no que se faz, e por uma consequente perda do sentido de espaço e tempo.

Ele identificou o estado de flow enquanto estudava razões por trás da felicidade de algumas pessoas, logo após a Segunda Guerra Mundial.

Contrariando as expectativas, atletas, músicos, cirurgiões e outros profissionais se mantinham satisfeitos com a vida, ainda que tivessem enfrentado mazelas durante o grande conflito mundial.

Csikszentmihalyi decidiu investigar as motivações dessas pessoas, realizando uma pesquisa com 8 mil participantes que tinham um ponto em comum: sua dedicação a atividades de que realmente gostavam.

Foi das respostas a essa pesquisa que veio o termo “flow”, citado pelos respondentes como aqueles períodos em que tiveram uma experiência de plenitude.

Os relatos mostraram que o fluxo foi atingido constantemente diante de tarefas que eram, ao mesmo tempo, desafiadoras e atendiam a um propósito maior.

É o caso de um atleta que compete para superar um recorde, um músico que prima pela excelência ou de um cirurgião que luta pela vida de seu paciente.

Por mais difíceis que sejam suas atividades, elas serão lembradas como algo relevante e prazeroso, pois levaram esses indivíduos ao estado de fluxo.

Como funciona o flow?

Como funciona o flow?
Como funciona o flow?

Por ser um estado mental ou psicológico, o flow funciona como um período em que a pessoa fica imersa em sua atividade, deixando todo o restante de lado.

Isso significa que não é possível se manter sempre no fluxo, porque ele cessa assim que completamos uma tarefa, ou quando nos dispersamos.

Desde que foi identificado por Csikszentmihalyi, o conceito vem sendo estudado por outros autores, a exemplo de Helder Kamei, que escreveu o livro “Flow e Psicologia Positiva“.

Na obra, Kamei elenca oito condições que caracterizam o estado de fluxo, conforme detalhamos a seguir.

Metas claras e feedback imediato

Atividades que favorecem o flow permitem que a pessoa acompanhe seu progresso, medindo cada passo concluído.

Dessa forma, ela tem retorno imediato sobre o desenvolvimento de sua tarefa.

Equilíbrio entre oportunidade de ação e capacidade

Ao contrário da crença popular, a satisfação por meio do fluxo não é experimentada durante momentos de relaxamento.

Na verdade, ela parte de um equilíbrio entre as capacidades e os desafios, ou seja, de uma atividade desafiadora o suficiente para despertar interesse e dedicação, mas que esteja dentro daquilo que somos capazes de executar.

Sensação de controle

Durante o flow, sabemos que estamos no controle de nossas habilidades, o que contribui para a autoconfiança e para que a tarefa seja realizada com eficiência.

Concentração profunda

Toda a nossa atenção, foco e dedicação são voltados à atividade e ao momento presente.

Por vezes, nem mesmo percebemos qualquer distração, seja ela visual ou sonora.

Foco temporal no presente

No estado de fluxo, conseguimos chegar à atenção plena, ou seja, vivenciar o presente por completo, esquecendo de qualquer lamento do passado ou preocupação quanto ao futuro.

Distorção da experiência temporal

Essa é uma das principais marcas que nos permitem identificar o flow: nossa concentração se torna tão profunda que perdemos a noção do tempo.

Assim, horas podem passar muito rápido, minutos podem se estender ou até parar.

Nesses períodos, parece que experimentamos uma sensação mágica de plenitude, sabendo que estamos onde deveríamos estar, fazendo o que devemos fazer.

Perda da autoconsciência reflexiva e transcendência das fronteiras do eu

Nos momentos de plenitude, a tendência é perdermos a consciência de nós mesmos, focando somente na atividade realizada.

Em outras palavras, significa que não pensamos sobre nós e, sim, apenas na ação presente.

Essa sensação nos identifica como parte de algo maior, de uma missão importante capaz de promover transformações no mundo.

A expectativa se torna autotélica

Segundo o dicionário Priberam, autotélico pode ser definido como algo “que determina por si mesmo o objetivo das suas ações ou que tem uma finalidade em si mesmo”.

No estado de fluxo, a expectativa se converte em autotélica, já que seu objetivo final não é a única razão para que seja realizada.

Isso acontece quando a tarefa é tão gratificante que não precisamos de mais justificativas para executá-la.

Conseguimos desfrutar de cada etapa da jornada, e não apenas do destino.

Para que serve o flow?

Para que serve o flow?
Para que serve o flow?

O flow é um componente essencial para quem busca uma vida engajada – que, segundo a Psicologia Positiva, é uma premissa para encontrar a felicidade.

Para explicar melhor, vale recordar que a Psicologia Positiva é um campo de estudo que foca nos elementos que levam ao bem-estar subjetivo, também chamado de felicidade.

De acordo com esse campo, uma das maneiras para estabelecer uma vida plena é investir na tríade da felicidade, formada por vida prazerosa, vida engajada e vida significativa.

A vida prazerosa valoriza os estados emocionais positivos, partindo de uma visão otimista de cada situação do dia a dia.

Ter uma vida significativa implica em descobrir seu propósito ou missão, e trabalhar por ele.

Já a vida engajada é repleta de atividades que produzem um prazer permanente, pois são tarefas significativas que se alinham à motivação interior, conduzindo a um estado mental de total concentração: o fluxo.

Nesse sentido, o flow contribui para uma vida plena, eleva o bem-estar e pode, inclusive, aumentar a produtividade no trabalho.

Afinal, o prazer e o desafio que fazem tudo fluir estimulam a superação dos nossos limites, o aprendizado e o crescimento.

Como entrar em flow no trabalho?

Como entrar em flow no trabalho?
Como entrar em flow no trabalho?

A primeira dica para entrar em flow no trabalho é priorizar e dedicar o máximo de tempo fazendo as tarefas que gosta.

E isso faz todo o sentido, porque fica complicado se concentrar totalmente em uma atividade sobre a qual não se enxerga prazer ou sentido.

Portanto, avalie sua rotina de trabalho, selecione as ações que provocam maior envolvimento e dê atenção a elas, pois vão te ajudar a alcançar o fluxo.

Trazemos, também, sugestões da psicóloga Christine Carter, especialista em psicologia positiva, para entrar em flow no trabalho.

Confira!

1. Esvazie a mente

Como vimos mais acima, o flow não é um simples estado de prazer ou satisfação.

Esse estado inclui, muitas vezes, esforço e trabalho duro para superar um desafio, completando uma tarefa significativa.

Para isso, é preciso se concentrar nessa atividade, o que não é possível quando deixamos nossa mente se dispersar, analisando o passado ou prevendo o futuro.

Conforme orienta Christine, uma das chaves para focar no aqui e agora é o planejamento.

Quando não temos uma lista com os afazeres do dia e prazos, por exemplo, nosso cérebro tende a pensar nelas, impedindo a concentração total e o flow.

2. Livre-se das distrações

Trabalhando em um escritório ou empresa, podemos nos distrair conversando ou observando colegas, ou com os ruídos do ambiente de trabalho.

Mesmo trabalhando remotamente, sempre há barulho, demandas urgentes e preocupações que insistem em acabar com nosso foco.

Para entrar no fluxo, a especialista indica a eliminação, ao máximo, dessas distrações.

Você pode, por exemplo, afastar-se do celular, usar fones de ouvido e avisar os colegas que não pode conversar por algumas horas.

3. Prepare o cérebro para a concentração

É importante enviar a mensagem à sua mente de que, naquele momento, você deve se dedicar a uma única tarefa, e que todo o resto pode esperar.

Comece satisfazendo suas necessidades básicas, como a ingestão de água e alimentos, evitando pausas.

Outra boa pedida é colocar uma música que favoreça a concentração (pode ser de sons naturais, instrumental, tranquila) e expirar profundamente por um minuto, mais ou menos.

Essas medidas dizem ao cérebro que estamos seguros e prontos para dar o melhor de nós na realização da tarefa.

Como entrar em flow nos estudos?

Como entrar em flow nos estudos?
Como entrar em flow nos estudos?

Entrar no flow ajuda bastante nos estudos, pois é um estado em que há equilíbrio e interesse, superando o tédio e evitando a ansiedade.

Muita gente afirma ter dificuldade para estudar, em especial por longos períodos do dia, chegando a desacreditar de seu potencial.

Vencer essa barreira implica em descobrir o que está por trás dessa aparente dificuldade, fazendo duas perguntas básicas:

  1. O conteúdo é muito avançado para sua habilidade atual?
  2. O conteúdo é muito fácil para você?

Ambas as situações têm o potencial de acabar com uma boa rotina de estudos, prejudicando seu desempenho em provas, vestibulares, concursos, etc.

E vamos explicar o porquê, a partir do modelo de oito canais – um gráfico que mostra a qualidade da experiência segundo o nível de desafio e habilidade.

No primeiro cenário que citamos, o nível de desafio é alto, mas a habilidade é baixa, resultando em ansiedade.

Nessa situação, o aluno se sente despreparado e duvida de suas capacidades.

No segundo cenário, acontece o oposto: o nível de habilidade é alto, enquanto o desafio é baixo.

O resultado é o tédio, já que o estudante está revendo, de forma lenta, um assunto que já domina.

No estado de fluxo, tanto desafio quanto habilidade precisam ser altos, exigindo a atenção e imersão do aluno, sem frustrá-lo com temas de que ele nunca ouviu falar.

Então, para entrar em flow nos estudos, observe sua sensação diante de uma aula, exercício ou leitura.

Se ficar ansioso, é sinal de que o conteúdo é muito avançado, o que requer que você domine alguns temas prévios antes de chegar até esse ponto.

Se ficar entediado, é evidência de que essa tarefa está fácil demais.

Portanto, é hora de passar para o próximo tópico.

Vantagens do flow

Vantagens do flow
Vantagens do flow

Quando não sabemos identificar o estado de fluxo, até vivenciamos algumas ótimas experiências, mas não levamos uma vida engajada.

Contudo, quando compreendemos e buscamos pelo flow, é possível melhorar a performance em diversas tarefas do dia a dia, aumentando nosso rendimento.

Diante de resultados melhores, ficamos mais satisfeitos com o que fazemos, elevando a sensação de plenitude, felicidade e o desejo por desafios maiores.

Veja, a seguir, os quatro principais pontos fortalecidos pelo estado de fluxo.

Produtividade

Quando entramos em flow, deixamos qualquer distração de lado, voltando a atenção para a tarefa do momento.

Essa condição é bastante benéfica para quem deseja ser mais produtivo, uma vez que as pausas constantes atrapalham a conclusão de atividades com eficiência.

Pense, por exemplo, na composição de um relatório ou no fechamento das contas mensais.

A cada parada, é natural perder o foco naquilo que estávamos fazendo, o que exige um tempo maior para finalizar esses documentos.

Concentração

Nos manter concentrados em uma atividade é extremamente difícil, pois nosso cérebro é treinado para observar tudo ao redor.

Essa característica vem de tempos remotos, quando a humanidade dependia da visão e da audição para se proteger de predadores e sobreviver.

Entretanto, o fluxo permite uma concentração total, desligando nossa necessidade de vasculhar o ambiente à procura de perigo.

Quanto mais vezes atingirmos esse estado, maior será nossa capacidade de concentração, análise e aprendizado, mesmo diante de temas complexos.

Envolvimento

É por estar totalmente envolvido com cada detalhe de nossas vidas, seja bom ou ruim, que nós encontramos a felicidade, não tentando procurá-la diretamente.

A frase acima, de Mihaly Csikszentmihalyi, ilustra a importância de, verdadeiramente, se engajar no momento em que realiza uma tarefa.

A falta de envolvimento torna as atividades corriqueiras, monótonas e vazias de significado, além de provocar uma sensação de inutilidade.

Por outro lado, o engajamento eleva nossa autoconfiança, esperança e criatividade, fomentando soluções inovadoras em todas as áreas da nossa vida.

Qualidade nas entregas

O estado de fluxo colabora para a melhoria contínua das pessoas, favorecendo a qualidade nas entregas.

Isso porque ele gera um ciclo virtuoso, produzindo uma sensação de contentamento com o trabalho realizado e busca pela superação.

Um bom exemplo disso são os atletas de alta performance que, ao correrem mais rápido ou saltarem mais alto, ficam motivados para fazer ainda melhor no dia seguinte.

Ao nos deparar com uma tarefa bem feita, sentimos orgulho e tomamos consciência de nosso potencial, o que dá forças para assumir responsabilidades maiores.

Desse modo, a atividade é feita com cada vez mais qualidade.

Técnicas para desenvolver o flow

Agora que já conhece as vantagens do estado de flow, reunimos algumas práticas que vão te ajudar a alcançar o fluxo com mais facilidade.

Abaixo, você encontra três recomendações do próprio Mihaly Csikszentmihalyi para desenvolver o estado de fluxo.

Mantenha a concentração e a consciência de que está no controle

Em qualquer situação, existem fatores que estão dentro da nossa zona de controle, e outros que estão fora.

Porém, durante a execução de uma atividade, somos nós que ditamos o ritmo, aprendizado e qualidade da entrega, pois comandamos nossa mente e corpo.

Lembre-se disso sempre que for iniciar uma tarefa, mesmo que ela pareça desafiadora demais.

No começo, você deve direcionar seu cérebro para um estado de controle e concentração que, depois de alguns momentos, será mantido de forma natural, graças ao flow.

Busque pelo crescimento

Ou, em outras palavras, saia da sua zona de conforto e assuma novos desafios.

Como toda mudança, um desafio maior provoca sensações de medo e incerteza no início, mas não desista de ampliar os horizontes.

É no desconhecido, na novidade, que reforçamos o autoconhecimento, encontramos novas paixões e motivações nobres.

Sem elas, a vida se torna uma jornada tediosa e repetitiva.

Fique próximo de pessoas importantes

Desenvolver o flow será mais simples à medida em que você se sentir relevante em um local ou grupo, tomando ciência de que suas ações fazem a diferença para aqueles indivíduos.

Daí a necessidade de nos envolver com pessoas importantes, como familiares e amigos, já que temos o potencial de influenciar a rotina deles.

Além disso, a sensação de pertencimento e identificação nos auxilia a focar no presente e nos sentir realizados com a atividade do momento.

Conclusão

Neste artigo, aprendemos sobre as características, benefícios e como o flow contribui para elevar nosso desempenho em diversas tarefas.

Que tal colocar em prática as dicas acima e vivenciar mais momentos de concentração, foco e satisfação?

Você também pode conhecer outras técnicas vantajosas para se dar bem no mundo do trabalho, gestão de empresas e empreendedorismo.

É só acessar os artigos no blog da FIA.

Se ficou com alguma dúvida, deixe um comentário.

E se o artigo foi útil, compartilhe com seus contatos!

2 Comments

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *