networking

17 fev 21

Networking: como criar sua rede de contatos

A disputa por uma vaga é cada vez maior. Se há poucos anos o trabalho de um gestor de RH, quando abria uma posição em sua empresa, envolveria divulgar essa vaga em alguns meios e receber dezenas (ou centenas) de currículos, hoje o processo é diferente.

Uma publicação em um site especializado de empregos alcança milhares ou até milhões de pessoas. Essa é uma das razões pelas quais o profissional moderno precisa sempre buscar se diferenciar. E o networking é uma das possibilidades.

Ter uma rede de contatos e poder expor seus pontos fortes, conquistas na carreira e, para usar linguagem mais clara, vender seu peixe quando necessário, é algo fundamental. Seja você um estagiário, estudante finalizando a faculdade ou CEO.

Explicando o networking

O networking é a criação e manutenção de uma rede de contatos para troca de informações profissionais. É comum relacionar a necessidade de networking com conseguir um emprego, mas esse é apenas uma das consequências positivas de montar essa rede.

A ideia para justificar essa ação é manter-se a par do que está acontecendo na sua área profissional e destacar os seus feitos e conquistas de forma orgânica e espontânea.

É possível trabalhar o networking das mais diversas formas. Participando de eventos de seu setor, trocando cartões profissionais com outras pessoas, atualizando seu perfil ou fazendo uma postagem em redes sociais, tomar um café com outro profissional e falar sobre seus projetos, enfim, são várias as possibilidades.

Importância do Networking nos primeiros passos profissionais

Em um cenário de grande concorrência por cada vaga, quem está começando sua carreira profissional terá desafios ainda maiores. Sem experiência ou relatórios do último trimestre para convencer seus possíveis líderes que contratar você é uma boa decisão, é preciso ter algo na manga.

É preciso esclarecer que networking não quer dizer que você conquistará um trabalho para o qual não tem capacidades só porque conhece alguém. Mas sim que você terá a oportunidade de mostrar suas qualidades e capacidades porque se posicionou da forma correta.

Alguns exemplos desse posicionamento são:

    • Criação de um perfil no LinkedIn; mas não é só criar, deixe-o atualizado
    • Uso de plataformas de emprego para ter acesso a vagas interessantes
    • Realização de cursos relevantes
    • Participação em eventos (de preferência com referências de sua área de atuação).

    Tipos de Networking

    Quando se fala em networking, não há apenas uma forma de fazer e nem um só tipo.

      • Networking pessoal: é a divulgação da marca pessoal, ou seja, o networking mais tradicional. O desafio é saber mostrar seu trabalho e suas conquistas sem se autopromover em excesso.
      • Networking de marketing: também chamado de marketing de rede, ele se forma quando um vendedor ou empresa monta uma rede de vendedores e representantes para aumentar seus ganhos. Saiba mais sobre o networking de marketing (e a diferença para os esquemas de pirâmide).
      • Networking honesto: como dissemos, fazer networking não significa a autopromoção exagerada ou, pior ainda, espalhar mentiras. A informação que você deve fazer chegar a sua rede de contatos tem que conter a verdade de sua atuação e resultados. Inclusive contando desafios encontrados e dificuldades.
      • Networking empresarial: se o pessoal foca na marca do indivíduo, aqui se trata de vender o peixe da empresa. Líderes precisam a todo momento ativar sua rede de contatos e passar a melhor imagem de sua companhia.

      Quais são as técnicas de networking?

      Trabalhar o networking, como muitas outras coisas, é uma questão de método e habilidade. Entretanto pode existir uma certa confusão ao relacionar networking com ser extrovertido ou até ser uma pessoa ostentadora, exibida.

      Isso é um erro, afinal o trabalho pode falar por si em muitos casos.  O que você deve pensar é que sua marca pessoal e conquistas precisam ser expostas ao mundo. E há algumas formas positivas e eficientes de fazer isso.

      O texto no site da Forbes “Como fazer Networking da Forma Certa: Oito Dicas” oferece excelentes insights. O principal deles, segundo o autor Andrew West, é pensar como ajudar as outras pessoas. Ir além de “O que eu vou ganhar” para “Como eu posso ajudar”.

      Crie contatos e mantenha a comunicação

      Os contatos não são apenas chefes, líderes de áreas em trabalhos antigos ou referências na sua área de atuação. Pode ser amigos de escola e faculdade, conhecidos de eventos ou projetos antigos e até familiares.

      A forma mais eficiente de manter a comunicação e saber como ativar os contatos é pelas redes sociais. O LinkedIn no caso é excelente, já que é uma plataforma profissional e lá é possível observar vagas abertas, saber das novidades das empresas, mudanças de trabalho dos seus contatos e conversar de forma direta com alguém.

      Nada como um cafezinho

      Para pessoas mais próximas é sempre interessante ter uma conversa frente a frente. Um café para botar as novidades em dia, um Happy Hour para reunir um grupo maior, enfim, eventos que sirvam para você contar o que está fazendo e saber de oportunidades.

      Você também é um facilitador

      Dentro de uma rede o seu papel também pode ser o de alguém que ajuda os outros, não só se beneficia. Mantendo os contatos ativos, no momento que surgir uma oportunidade em sua empresa e for pedida uma referência, você poderá ter alguém na ponta da língua.

      Pense na sua apresentação

      A forma como você se apresenta diz muito sobre sua personalidade. Dar importância a uma entrevista, uma conversa, um perfil na rede social e um processo seletivo sempre será um ponto a favor. Então preste atenção sua linguagem verbal e corporal, expresse opiniões de forma educada e esteja sempre pronto para ouvir.

      Conclusão

      Todo profissional trabalha o networking de uma forma ou outra. A ideia de criar uma rede de contatos e mantê-la não é para ser pontual e sim um trabalho constante, afinal oportunidades surgem a todo momento.

      Alguém que está na faculdade ou terminando seu curso de graduação também pode dar o pontapé inicial no networking. Criar um perfil no LinkedIn, apresentar ao mundo um projeto feito em sala de aula e suas ideias, montar um grupo com seus colegas que continuará após o término do curso, todas essas são ações de fácil implantação e que podem render frutos.

      Gostou do texto? Compartilhe-o com seus amigos pelas redes sociais e continue descobrindo sobre habilidades, profissões de destaque e temas de administração de empresas no blog da Graduação da FIA. Em caso de dúvida ou sugestão, deixe sua mensagem na seção de comentários abaixo.


      Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *