Conheça o Google Analytics em poucos minutos

23 dez 20

Conheça o Google Analytics em poucos minutos

Poucas pessoas que se interessam em progredir com um projeto digital atualmente não conhecem o Google Analytics. Essa ferramenta gratuita e completa permite coletar e analisar dados de visitantes virtuais de sites, blogs e aplicativos.

Os recursos do Google Analytics são tão detalhados e precisos que essa plataforma se tornou imprescindível para monitorar acessos e desenvolver conteúdo que alcance qualquer público desejado de maneira eficiente.

O que o Google Analytics revela de tão interessante?

O Google Analytics é uma ferramenta que poupa tempo e trabalho de equipes inteiras de monitoramento, pois compila dados estratégicos de maneira automatizada e os apresenta na forma de relatórios personalizáveis.

Dessa forma, negócios podem fazer análises assertivas de suas audiências e ajustar seu conteúdo, design e formas de interação para obter melhores resultados. Além de economizar dinheiro com anúncios, é possível gerar leads, travar um relacionamento com clientes e aprimorar o produto ou serviço com bastante precisão.

Para isso, é necessária a elaboração de uma estratégia a partir de dados específicos. Esses dados são medidos a partir de alguns parâmetros-chave. Confira a seguir os 5 principais dados de métricas que merecem a atenção para essa finalidade.

Visitas

Esse parâmetro detalha quais páginas foram mais acessadas e qual é a quantidade de visitantes únicos delas – é o número de pessoas que visitaram o site, sem contar visitas repetidas.

O registro de data e hora de acesso e o endereço IP de quem visitou o site ensejam uma visão detalhada de várias variáveis da apresentação de um conteúdo para o público do projeto.

Origem

Há várias componentes que ajudam a entender a origem dos visitantes do projeto:

    • Direct – a origem é direta se o endereço do projeto foi digitado diretamente no navegador de internet.
    • Busca orgânica – identifica se os visitantes vieram de um mecanismo de busca, como Google, Yahoo, Bing, entre outros.
    • Social – tráfego oriundo de uma rede social.
    • E-mail – tráfego oriundo de um link inserido em algum e-mail – um material de marketing direto, por exemplo.
    • Referral – o visitante veio de alguma outra página que fazia referência a esse projeto.
    • Paid search – identifica se foi uma campanha paga que gerou o acesso.

    Novas sessões

    Esse parâmetro indica a porcentagem de pessoas que acessaram o site pela primeira vez. Se o número for baixo, pode indicar que mais divulgação pode ser feita para obter melhores resultados.

    Por outro lado, um número muito alto pode indicar que as páginas precisam ser aprimoradas. Pode parecer confuso, e às vezes é mesmo: as métricas são complexas e não existem respostas fáceis sem análise.

    Tempo de navegação

    Geralmente, a quantidade de tempo passada numa página indica que o conteúdo presente nela reteve a atenção do visitante e pode ter sido útil de alguma maneira.

    Taxa de rejeição

    Entender o que não funciona é tão ou mais importante do que compreender o que funciona num projeto, pois indica objetivamente o que deve ser alterado com maior urgência.

    No Google Analytics, a taxa de rejeição é dada na forma de uma porcentagem de pessoas que abandonaram o site ou aplicativo sem interagir com ele. Entendendo em quanto tempo isso aconteceu e em qual página, essas alterações estratégicas podem ser feitas.

    Três erros comuns no Google Analytics

    As métricas mencionadas acima são apenas algumas das mais comuns num acervo bastante completo de opções, que é o oferecido pela plataforma de análise de dados do Google.

    Com tantas informações, uma análise ponderada pode levar a bons resultados. É um processo de aprendizado, que pode demorar algum tempo. Para economizar esforço e parte desse tempo, há três erros grosseiros que usuários iniciantes do Analytics podem evitar de antemão.

    Criar uma conta do Google Analytics sem ter estratégia

    A plataforma de análise com certeza pode ser útil – mas é preciso saber onde se começa, que caminho percorrer e onde se espera chegar.

    Definir metas objetivas e os principais indicadores de sucesso (também chamados KPIs) é um bom começo para estruturar uma estratégia de marketing digital.

    Escolher parâmetros inúteis

    Indicadores do sucesso de um projeto devem ser analisados. Mas eles realmente podem levar a uma análise racional e mudanças úteis no seu projeto ou só mostram revelam como as coisas vão incrivelmente bem?

    Analisar métricas de maneira isolada (ou fazer más avaliações) pode levar a essa abordagem vaidosa, sem necessariamente gerar uma conversão maior ou uma melhora em seu produto.

    Não tirar conclusões práticas dos dados

    Vamos supor que o analista consegue interpretar corretamente os pontos fortes e fracos de um projeto digital com base nos dados coletados pelo Google Analytics. Isso não adianta nada se decisões correspondentes forem tomadas.

    Pode parecer óbvio, mas há empresas que não sabem tirar o proveito da plataforma por serem incapazes de traçar ações práticas dentro da estratégia de marketing e das conclusões obtidas.

    Conheça mais sobre o Google Analytics

    Para entender de maneira aprofundada como funciona o Google Analytics, como se cadastrar para usá-lo e como ele pode ser utilizado para monitorar diversas redes sociais, consulte nosso guia completo de Google Analytics para iniciantes.

    Se este texto foi útil para você, não deixe de compartilhá-lo com seus amigos. Tampouco hesite em deixar suas dúvidas e recomendações na seção de comentários abaixo.


    Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *