enade

29 abr 19

Qual a importância do ENADE na escolha de uma instituição de ensino?

Os estudantes que têm interesse em ingressar em uma instituição de ensino de qualidade, independentemente se é pública ou privada, podem utilizar como base a nota do Enade. Ela é concedida pelo MEC às organizações de ensino superior avaliadas e tem como objetivo medir seu desempenho.

A partir daí o órgão analisa a situação dos cursos oferecidos pelas instituições de ensino, avaliando se elas apresentam os requisitos mínimos, bem como os padrões que atestam a qualidade do ensino. Continue lendo o post, entenda o conceito do Enade, como funciona, entre outras informações importantes sobre o tema. Boa leitura!

O que é Enade?

O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) avalia os estudantes que estão terminando o curso de graduação. Entre os tópicos avaliados estão o conteúdo programático, conhecimento e habilidades desenvolvidas no decorrer da formação. Trata-se de uma avaliação obrigatória, devendo constar no histórico acadêmico do estudante a comprovação de sua realização.

O exame é realizado pelo INEP e faz parte do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). Junto a dois outros processos, a Avaliação de Cursos de Graduação e de Avaliação Institucional, forma um conjunto avaliativo, que permite conhecer as nuances dos cursos e instituições de ensino superior de todo o país.

A primeira avaliação foi aplicada em 2004 e atualmente apresenta uma periodicidade de até três anos para cada área de conhecimento. O desempenho do aluno em si não é avaliado, mas sim a qualidade dos cursos e o rendimento de seus estudantes.

Os resultados do Enade constituem os parâmetros necessários para o cálculo dos indicadores de qualidade do ensino superior brasileiro, que formam a nota do MEC. São eles:

  • Conceito Preliminar de Curso (CPC): é formado pelos resultados do Enade e por quesitos como qualificação e titulação dos docentes, recursos didático e pedagógicos, infraestrutura e instalações da faculdade. Essa nota varia de 1 a 5;
  • Conceito de Curso (CC): é formado pela análise presencial do curso por profissionais do Ministério da Educação, que pode validar ou alterar o CPC. Cursos com CPC 1 e 2 são incluídos no cronograma de avaliação. Cursos com CPC acima de 2 podem ou não receber visitas periódicas dos avaliadores para converter o CPC em CC;
  • Índice Geral de Cursos da Instituição (IGC): é o indicador da qualidade de todos os cursos de graduação e pós-graduação stricto sensu (doutorado e mestrado). Utiliza o CPC e a nota Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) para sua formação;
  • Conceito Institucional (CI): refere-se ao ciclo avaliativo das instituições a partir de uma autoavaliação e uma avaliação externa por comissões designadas pelo Inep.

Como funciona?

São selecionados estudantes do primeiro e do último ano dos cursos de nível superior. Contudo, para os alunos selecionados que estão finalizando o curso a participação no Enade é obrigatória e condição para a emissão do histórico escolar. Alunos não selecionados também podem fazer a prova, mas na condição de voluntários.

Nem todos os cursos são avaliados anualmente. Há um sistema de rodízio que define quais áreas vão participar do exame. Definidos os cursos, as instituições fazem suas inscrições, cadastram os alunos aptos a participar e prestam as informações necessárias sobre os cursos e a faculdade.

As notas concedidas às faculdades vão de 1 a 5. De acordo com os critérios, notas 1 e 2 são consideradas baixas, 3 é satisfatória (o MEC julga como 3 uma nota que atende a expectativa do órgão). Notas 4 e 5 indicam níveis de qualidade elevados.

Vale ressaltar que as notas do Enade determinam somente a qualidade do curso em específico e não a qualidade da faculdade como um todo. O MEC também utiliza as notas para avaliar a qualidade do ensino superior do país.

É possível saber mais sobre o exame e as notas da instituição no site do MEC.

Qual é a importância da nota do Enade para um curso?

Em linhas gerais, a nota é um referencial para que os estudantes possam avaliar a qualidade do curso em que planejam ingressar. Dessa forma, podem fazer sua escolha a base de critérios desenvolvidos pelo órgão mais respeitado do país.

A partir do ranking do MEC é possível verificar se as faculdades apresentam as condições adequadas para educar e formar profissionais para executar as atribuições exigidas pelo mercado de trabalho. Também é uma ferramenta que permite às instituições investir na manutenção do seu padrão de qualidade.

Com a nota, os estudantes têm uma referência para a escolha da faculdade que planejam ingressar. As instituições de ensino, por sua vez, têm em mãos os parâmetros para a melhora de seus processos educacionais.

Há riscos em entrar em um curso com nota baixa?

Sim, quando um aluno se matricula em um curso que tem uma baixa avaliação no MEC, fica sujeito às punições que a faculdade pode sofrer pelo MEC. Dependendo da gravidade e se não houver melhorias, em casos extremos a faculdade pode deixar de oferecê-lo ou ter suas portas fechadas.

Basicamente, os cursos com notas baixas nos indicadores do Enade passam por supervisão, a qual desencadeia sanções caso não sejam apresentadas tendências de melhora. Entre as situações que levam a essas medidas extremas estão baixa qualidade acadêmica, oferta de educação precária, dificuldades financeiras, bem como a ausência de soluções eficientes para a resolução dos problemas levantados nas avaliações.

Universidades com notas baixas recorrentes também podem sofrer medidas cautelares, como a suspensão de vestibulares e processos de abertura de novas vagas.

Como uma nota baixa no Enade impacta as possibilidades de ingresso no mercado de trabalho?

Imagine estudar durante alguns anos, dedicar-se ao curso e no final não receber o diploma? É isso que pode ocorrer caso a instituição apresente notas mínimas, uma vez que o MEC pode deixar de reconhecer a faculdade, prejudicando os estudantes que já se formaram ou que estão no meio do curso.

Muitos concursos com exigência de nível superior não aceitam candidatos cujos diplomas não são reconhecidos pelo MEC, que também exige que a instituição emissora seja credenciada pelo órgão. Além disso, muitas empresas não “veem com bons olhos” as instituições com notas baixas.

É importante que o estudante pesquise a faculdade e a nota do Enade para fazer uma boa escolha. Dessa forma, ele obtém um ensino de qualidade, não tem surpresas desagradáveis no decorrer do curso e é bem reconhecido pelo mercado de trabalho.

Agora que já sabe como funciona o Enade e sua importância, que tal compartilhar este conteúdo nas redes sociais? Assim, mais pessoas podem se beneficiar dele!


Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *