como estudar para o enem: menina em biblioteca

28 ago 19

Como estudar para o ENEM? 7 maneiras de manter uma rotina de estudos eficiente

Você está terminando o Ensino Médio e precisa pensar sobre a próxima etapa de seus estudos: escolher uma carreira. Por isso, saber como estudar para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) é a primeira de uma série de preocupações até ser aprovado no Ensino Superior.

Com 20 anos de existência, o Enem consolidou-se como o “maior vestibular do país”. Ganhou esse apelido porque hoje a prova é porta de entrada para inúmeras universidades, tanto que algumas instituições já estão até substituindo o vestibular tradicional pelo próprio exame.

Pelo fato de não reprovar ninguém ― já que o objetivo do MEC (Ministério da Educação) é avaliar o desempenho ao estudante ao final da escolaridade básica ―, o exame é um importante critério de seleção para ingresso em universidades e participação nos programas de bolsas de estudo e financiamento do Governo Federal.

Então, que tal saber como estudar para o Enem? Continue acompanhando as próximas linhas!

Qual a importância de ir bem no ENEM?

Existem, pelo menos, dois grandes motivos para você se dedicar ao exame. O primeiro deles é o que a nota do Enem é item obrigatório para a participação do aluno no Sisu (Sistema de Seleção Unificada).

Depois, se o aluno quiser interesse pleitear uma bolsa de estudos pelo ProUni (Programa Universidade para Todos) ou financiamento das mensalidades pelo FIES (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior), a nota no exame vale muito.

Veja, resumidamente, o que significa cada um:

Sisu

O Sisu foi uma forma que o Governo Federal encontrou de democratizar o acesso às universidades. Utilizando a nota do Enem como critério de aprovação, universidades públicas e privadas abrem concorrência às suas vagas, por meio de uma inscrição gratuita no sistema.

Duas vezes por ano, qualquer vestibulando pode ser inscrever para concorrer a uma vaga em cursos superiores de todo o Brasil, e o sistema libera as notas de corte para que o candidato se oriente de seu rendimento. Se a nota de corte for inferior ao seu rendimento, é possível trocar de curso na fase de inscrição.

ProUni

Este é um programa de concessão de bolsas de estudo em instituições particulares para cursos de graduação ou sequenciais a estudantes que ainda não tenham diploma.

As bolsas podem ser integrais ou parciais (50%), e são destinadas a alunos de escolas públicas ou particulares (desde que tenham sido bolsistas). Para participar é preciso ter prestado o Enem no ano anterior ao edital e obtido, no mínimo, 450 pontos sem zerar a redação.

FIES

O FIES é uma alternativa de financiamento aos alunos matriculados em instituições particulares, mas que não se enquadram nos critérios do ProUni.

É possível financiar parcial ou integralmente o curso, a juros bem baixos e até mesmo começar a pagar depois de formado. Além disso, o montante financiado e a taxa de juros variam conforme a classificação da renda familiar.

O programa é válido para quem tenha prestado o Enem a partir de 2010 e obtido, no mínimo, 450 pontos sem zerar a redação.

Como funciona o exame e o que estudar?

Para 2019 são esperados no exame cerca de 5 milhões de estudantes. As provas são divididas em duas etapas, e estão marcadas para 3 e 10 de novembro. Serão 180 questões de múltipla escolha, cada uma com 5 alternativas, e uma redação dissertativa.

O conteúdo deste ano segue os mesmos padrões dos anos anteriores, detalhados na Matriz de Referência do exame e divide os conhecimentos em 5 áreas. São elas:

  1. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: Artes, Educação Física, Língua Estrangeira (inglês ou espanhol), Literatura, Português, Tecnologias da Informação e Comunicação.
  2. Ciências Humanas e suas Tecnologias: Filosofia, História, Geografia e Sociologia.
  3. Ciências da Natureza e suas Tecnologias: Biologia, Física e Química.
  4. Matemática e suas Tecnologias: Matemática e assuntos relacionados.
  5. Redação: texto dissertativo-argumentativo sobre tema da atualidade.

Como ter uma boa rotina de estudos para a prova?

Agora que você já sabe como funciona o Enem, veja algumas dicas para criar uma rotina de estudos eficiente!

1. Assista a videoaulas

Inscreva-se em um cursinho online. Por um preço bem acessível, ou até mesmo gratuitamente, existem alguns sites que oferecem excelentes conteúdos e acompanhamento de professores com experiência no Enem. Além de estudar sem sair de casa, você ainda conta com suporte para tirar as suas dúvidas.

2. Crie um planejamento de estudos

Defina uma agenda e um plano de estudos. É importante que você tenha essa organização e mantenha horários regulares, a fim de que você não se desmotive e consiga o melhor aproveitamento.

Dedique mais tempo às disciplinas que considerar mais difíceis e aproveite o horário em que você se tem melhor produtividade.

3. Mantenha-se atualizado

O Enem explora muito os conhecimentos relacionados à atualidade ― política, sustentabilidade, inovação tecnológica, direitos humanos etc. ― e constrói muitas perguntas a partir da interpretação desses temas. Por isso, leia muito, acesse notícias, assista a jornais, sempre buscando boas referências de informação.

4. Participe de grupos de estudo

O estudo em grupo pode ser bastante válido. Se você usa constantemente as redes sociais, engaje-se em algum grupo do Facebook, por exemplo. Ali, os participantes vão compartilhar vários conteúdos que ajudarão você a complementar os estudos.

Porém, sair do mundo virtual também é bacana. Busque amigos e se reúna em algum local, como a biblioteca de sua escola, e estudem juntos. Divida com eles as disciplinas nas quais você tem mais dificuldade e procure ensinar os conteúdos que você sabe bem ― essa é uma ótima maneira de estudar.

5. Responda a provas anteriores

Responder às provas anteriores ajuda você a conhecer o perfil do exame. Você se familiarizará com o estilo das perguntas, tempo de leitura e a forma de interpretar.

Além disso, será possível mensurar quantos minutos leva para completar cada questão, o que vai auxiliar para ter maior autocontrole e não se desesperar na hora H.

6. Treine a redação

Além de desenvolver a leitura, é preciso treinar a redação. Como os temas têm a ver com o que está acontecendo no Brasil e no mundo hoje, é preciso que você desenvolva a prática de construir seus argumentos, observando todos os lados da questão.

Mais ainda, é preciso saber colocar isso no papel, com coerência, coesão, vocabulário arrojado e seguindo a norma culta da língua portuguesa.

7. Utilize aplicativos

A tecnologia está a seu favor. Para complementar os estudos, além dos sites e canais de vídeos você também pode optar por aplicativos que funcionam como preparatórios para vestibulares e o Enem. Alguns deles são:

  • Me Salva: traz conteúdos de engenharia, ciência da saúde e negócios. Parte é gratuita, mas depois pede assinatura;
  • CDF: é um aplicativo gratuito do canal Futura. Traz conteúdos de meio ambiente, tecnologia, cultura e atualidades;
  • Desafie-me: um jogo grátis com 1,6 mil perguntas com os conteúdos das últimas 9 edições do Enem. Há testes para fazer sozinho ou em grupo;
  • Edu.app: criado pela fundação Lemann traz videoaulas com conteúdos das últimas 5 edições do Enem, trazendo dicas e orientações.

Quantas informações, não é mesmo? Bem, se você chegou até aqui certamente compreendeu como estudar para o Enem. Agora, mãos à obra e tenha uma boa dedicação para brilhar no exame.

Ah, antes de ir embora, deixe um comentário aqui no post dizendo o que achou do artigo e se ainda ficou alguma dúvida!

Powered by Rock Convert

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *